Fale com nossa Assessoria de Imprensa

 

A assessoria de imprensa da Allianz está à disposição para informações e entrevistas. A sua matéria com a fonte certa.

Pedalando pelo mundo


Viajar de bicicleta é a melhor maneira de conhecer lugares e se aproximar da natureza.
Por Giulianna Aquarone

Vai viajar? Que tal ir de bicicleta? Programar uma viagem para ir pedalando é uma boa maneira de conhecer novos lugares pelo mundo. Escolher a “magrela” de duas rodas – não motorizada – pode tornar o passeio mais divertido e inesquecível.
Além de ser uma forma ecológica, é também uma das mais baratas e permite uma maior interação com a população por onde se passa. Possibilita a aproximação com tudo o que rodeia o local: pessoas, animais, paisagens, cheiros, topografias de terreno, etc. A passagem por cada lugar se transforma em uma vivência, um convívio. Tudo facilitado pela bike.
No Brasil, existem diversas rotas com lindas paisagens. Uma delas é a estrada Cunha-Paraty, um trecho de descida que termina na histórica cidade de Paraty. O caminho é difícil – trata-se de uma descida sinuosa feita na Estrada Real, com muitas pedras soltas e terra pela pista. O ideal, segundo a Sampa Bikers, é começar a jornada no quilômetro 20 do trevo de acesso de Cunha, a dois quilômetros de distância da estrada para a Pedra da Macela. O roteiro tem cerca de 30 km, sendo apenas seis de subida até a divisa entre Rio e São Paulo. No caminho, cachoeiras, mata, pequenos animais e belas paisagens, com destaque para a Cachoeira do Escorrega, um tobogã natural localizado pouco antes da chegada ao centro de Paraty.
Outra rota, próxima de São Paulo, é o Caminho do Sol, uma trilha inspirada no Caminho de Santiago de Compostela. O percurso tem 240 km, sai de Santana do Parnaíba e chega à estância de Águas de São Pedro. A beleza da rota foi o que mais chamou a atenção do técnico de informática Leandro Monteiro. “Passamos por ambientes rurais, plantações e por diversos tipos de terreno. O desafio foi grande, mas a felicidade de terminar o percurso, ser recebido com o toque do sino na Casa de Santiago e, por fim, receber um certificado é indescritível!”. A rota é monitorada e, para percorrê-la, é necessário fazer uma inscrição no site www.caminhodosol.org.
Porém, antes de pôr o pé na estrada é melhor pensar numa rota bastante variada e revisar a sua bicicleta. O ciclista Théo Pleiffer dá algumas dicas de como se programar para pedalar na estrada. “Calcular quantos quilômetros consegue pedalar confortavelmente torna o percurso mais prazeroso. Levar mapa e GPS ajuda a não sair da rota, e vale a pena checar as cidades próximas do caminho que oferecem boa hospedaria para passar a noite ou descansar. Outro ponto importante é não viajar sozinho, o ideal é sempre estar em grupo e aproveitar a viagem”, afirma.
Para o consultor físico André Carvalho, andar de bicicleta deixou de ser uma atividade alternativa para se tornar imprescindível na vida moderna pelos benefícios à saúde e ao meio ambiente. “Assim como toda prática esportiva, o ciclismo traz benefícios para o corpo e para a mente. Pedalar é uma das atividades mais completas, pois movimenta todo o corpo de forma sincronizada, e isso ajuda a combater o estresse e a depressão, emagrece, fortalece a musculatura, aumenta a resistência vascular, melhora a respiração e ajuda no controle do colesterol e dos triglicérides”, afirma.
No Brasil já existem empresas especializadas em organizar viagens de bike, como o Circuito Brasileiro de Cicloturismo, instituição que promove passeios por rotas de todo o país. Agora é só escolher o destino e colocar a magrela na estrada!