A sua matéria com a fonte certa.

 

A Allianz está à disposição para informações e entrevistas. Entre em contato conosco pelos canais abaixo:


Virta Comunicação

Tel: 55 11 3083-1242
Lucila Lopes - lucila.lopes@virta.inf.br
Bianca Bordignon - bianca@virta.inf.br

Ou nos envie uma mensagem pelo e-mail imprensa@allianz.com.br

Veja abaixo os últimos releases:

Campanha Alliadoz 2018: rumo à Toscana

Corretores têm até o fim de dezembro para somar pontos e ganhar viagens internacionais e participar de experiências no Allianz Parque. Todos os vencedores da campanha 2017 já foram premiados esse ano.
 
São Paulo, 29 de outubro de 2018 – “Eu trabalho com a Allianz há 25 anos. Acho que esse tipo de campanha de incentivo vai além das premiações. Ela serve para aproximar o corretor da companhia, o que é fundamental tanto na hora de gerar negócios como quando acontece um problema, porque daí a gente sabe direitinho a quem recorrer”, diz Márcia Baeta, sócia da corretora Centurium, especializada em benefícios.

Márcia foi uma das contempladas na Campanha Alliadoz 2017, que encerrou as premiações em outubro, com uma experiência no Allianz Parque: assistir ao lendário Roger Waters, ex-baixista do Pink Floyd e principal letrista da banda.

A Campanha Alliadoz 2017 levou os vencedores à enigmática Croácia (participantes que acumularam 120 pontos), ao Deserto do Atacama (60 pontos), no Chile – considerado o mais árido e belo do planeta -, e também para viver uma experiência em um lounge exclusivo no Allianz Parque (40 pontos). Ao todo, a campanha premiou mais de 500 corretores de todo o Brasil. 

Durante o evento no Allianz Parque, o presidente da Allianz Seguros Eduard Folch convidou os corretores para continuar a participar da Campanha Alliadoz 2018. “No ano que vem, espero encontrar vocês seja aqui na arena, seja na bela Toscana ou em Cartagena. O importante é mantermos o vínculo que se estabeleceu e criarmos novos”. 

Complementando Folch, o diretor Comercial Eduardo Grillo afirmou que a Alliadoz Campanha têm como objetivo principal gerar a integração com a companhia e lembrou que ainda dá tempo dos corretores participarem da etapa 2018. “Nós estamos reconhecendo a parceria e retribuindo a confiança depositada na Allianz. Vocês corretores são o nosso canal de vendas e têm muito potencial para ampliarem seus negócios conosco. Lembrem-se: a Alliadoz Campanha 2018 só se encerra em dezembro e o final do ano é historicamente um momento aquecido para fechar negócios”. 

Confira o que disseram os vencedores da Alliadoz 2017, durante show no Allianz Parque:

 

 

Sobre a Allianz Seguros


No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Allianz Seguros investe em simplicidade e conectividade para agilizar cotação do Automóvel
 
O sistema de cálculo da seguradora passou por aprimoramentos visando ganho de produtividade aos corretores
 
Com o objetivo central de otimizar as operações realizadas rotineiramente pelos corretores, a Allianz Seguros passou a trabalhar com um novo modelo para estabelecer o perfil de risco em Automóvel. A implementação do conceito é inédita no mercado segurador, foi viabilizada por meio de automação e é resultado da atual fase da seguradora, baseada em simplicidade, conectividade e proximidade. A tecnologia possibilita que campos do sistema de cotação sejam preenchidos sem a intervenção humana. 
 
Agora, para realizar um cálculo de seguro de Automóvel na Allianz basta o corretor preencher 14 campos no sistema de cotação– em sete lacunas é preciso digitar as informações e em outros sete itens basta clicar em alternativas disponibilizadas na tela. Se o cliente já estiver na base da Allianz, o número de campos a serem completados reduz para cinco. 
 
“Hoje, nós temos o sistema de cálculo mais eficiente do mercado. O corretor precisa informar, por exemplo, o CPF e o CEP do segurado e a placa do veículo para que as outras informações sejam colhidas eletronicamente em fontes internas e externas. Além disso, uma cotação gera 12 cálculos, para que o segurado possa comparar custos e benefícios e verificar a opção que melhor se encaixa às suas necessidades”, explica Pedro Pimenta, diretor de Automóvel da Allianz Seguros.
 
Pelo fato do atual modelo de negócios da Allianz estar voltado absolutamente para a simplificação de processos, ao término de um cálculo a apólice pode ser emitida. No mercado em geral há ainda uma segunda etapa, a validação de risco. 
 
Novos pacotes do Allianz Auto Instituto Ayrton Senna
O produto passou a contar com seis opções de contratação, possuindo diferentes condições de preços, que se encaixam na capacidade de compra de diferentes perfis de clientes, o que o torna bastante competitivo. Com o Allianz Auto Instituto Ayrton Senna, o segurado tem ao menos: 500 km de remoção por guincho; 20 dias de carro reserva; seguro para terceiros de R$ 50 mil para danos materiais e corporais e de R$ 10 mil para danos morais; seguro para passageiros de R$ 10 mil em caso de invalidez ou morte; e assistência a vidros – para-brisa, traseiros e laterais, lanternas, faróis e retrovisores. O cliente da Allianz conta ainda com outros serviços de assistência 24h, como reparos residenciais.

Sobre a Allianz Seguros


No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Novo Allianz Saúde amplia facilidades aos corretores 

Com a simplificação dos planos e da operação, empresas de todos os portes agora contam com amplas coberturas. Para os corretores, mais agilidade da cotação à gestão das apólices.


Mais autonomia para o corretor, processos automatizados, alto nível de serviços e condições comerciais atrativas. É assim que chega ao mercado o novo Allianz Saúde. Com planos estruturados – PME5 (de 5 a 49 vidas), PME50 (de 50 e 199 vidas) e Empresarial (a partir de 200 vidas) – para atender empresas de todos os portes, a seguradora lança quatro categorias: Essencial, Ampliado, Completo e Exclusivo. “Nós reduzimos a quantidade de planos, melhoramos processos e os valores de reembolsos, que agora estão mais abrangentes, o que torna o produto mais atrativo para o corretor comercializá-lo”, explica Matthias Kuehn, diretor da Allianz Saúde.

E as simplificações não param por aí: o sistema do Allianz Saúde permite indexar documentos, fazer cotações, emitir a proposta comercial e a apólice e, posteriormente, gerenciar a carteira de clientes com a Allianz sem sair do escritório. “O ganho operacional para o corretor é grande, já que ele não precisa se deslocar para entregar as documentações fisicamente, em uma de nossas filiais”, diz Kuehn. 

Para as empresas PMEs, as vantagens são muitas. Estratificadas por números de vidas, de 5 a 200, o corretor tem autonomia para fazer todo o processo e conta ainda com argumentos de venda como: reembolso em até 5 dias úteis; retaguardas clínica e cirúrgica em hospitais de alto nível; acomodação em apartamento para todos os tipos de planos; rede credenciada de qualidade e preços competitivos em todas as praças de comercialização – São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e suas regiões metropolitanas.
 
Para as empresas a partir de 50 funcionários o VivAZ – programa de gestão de saúde e qualidade de vida – está disponível. Um de seus objetivos é auxiliar os profissionais da área de RH a fazer a gestão da carteira, agindo preventivamente para contribuir com a melhora da saúde do beneficiário, o que acaba por reduzir a sinistralidade. O VivAZ é composto por várias etapas, que se iniciam com o mapeamento de risco da empresa cliente. A partir de seus resultados é que a Allianz Saúde elege onde precisa atuar: se é com programas de nutrição, contra o sedentarismo, antitabagismo, entre outros. “Nosso grande diferencial é o programa osteomuscular. Temos um projeto em parceria com dois excelentes hospitais de São Paulo, que são referência no País todo.  Nós oferecemos uma segunda opinião médica para pacientes com problemas graves de coluna. Caso a orientação seja não operar e o paciente opte por segui-la, poderá continuar com o tratamento com os médicos desses dois hospitais, mesmo que o plano do beneficiário não dê cobertura”, completa Kuehn.   

 

Sobre a Allianz Seguros


No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Allianz Seguros automatiza cotação do Residência e dá mais agilidade aos corretores de seguros   
 
Com etapas do sistema de cálculo automatizadas, os parceiros de negócios ganharam mais tempo para incrementar a sua produtividade 
 
O sistema de cálculo do Allianz Residência tem como base a simplicidade e a agilidade, assim como o do Allianz Auto Instituto Ayrton Senna. O atual modelo de negócio da Allianz Seguros, aplicado nos produtos massificados, além de gerar ganho operacional à seguradora e aos seus parceiros de negócios, incentiva a diversificação de ofertas, fundamental para o atual cenário do mercado de seguros brasileiro. 
 
Por meio da nova estratégia, a Allianz espera alavancar as vendas e a adesão de consumidores ao seguro residência. “O nosso trabalho está voltado para a disponibilização de um sistema eficiente e que dá mais autonomia aos corretores. Com a tecnologia implementada, esperamos garantir entrega mais rápida e adequada desde a cotação até o sinistro”, diz David Beatham, diretor de Massificados e Vida da Allianz Seguros.  
 
Hoje, em menos de um minuto é possível cotar o Allianz Residência. O processo é feito com o preenchimento de somente 14 campos. Caso o cliente já esteja na base de dados da seguradora, a quantidade de lacunas cai para 11. A agilidade foi conquistada graças à automação, que permite busca de informações em bases internas e externas. 
 
Aliadas às inovações no sistema de cotação estão as ampliações no produto. O Allianz Residência passou a amparar veículo estacionado na garagem em caso de incêndio e Danos Morais na cobertura de Responsabilidade Civil Familiar. Um pacote completo de assistência 24 horas, inclusive para residências de veraneio; opção de contratação de residência com escritório, ou seja, o segurado não precisa contratar cobertura à parte para esse último espaço.

 

Sobre a Allianz Seguros


No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Allianz Seguros gera eficiência operacional ao corretor simplificando cotação do Vida Individual 

O processo de cotação do seguro leva aproximadamente 30 segundos e entre os diferenciais do produto estão: capital máximo segurado de 1 milhão de reais; vigência da apólice de cinco anos; e questionário de saúde totalmente online

Oferecer diferenciais de coberturas e assistências aos segurados com facilidades para o corretor cotar e emitir apólices são os principais objetivos da Allianz Seguros ao implementar novidades no seu Vida Individual. O produto, assim como o Allianz Auto Instituto Ayrton Senna e o Allianz Residência, está inserido no novo modelo de negócio da seguradora fundamentado em simplicidade, conectividade, eficiência e proximidade. 

O Vida Individual da Allianz tem várias opções de coberturas, entre a básica e as adicionais, incluindo, indenização por acidente, invalidez por acidente ou doença e diagnóstico de câncer. As diferentes combinações entre elas resultam em quatro planos, dando a possibilidade de o consumidor adquirir aquele mais compatível com o seu perfil e que garantirá os seus beneficiários – já na tela de cotação, o sistema sugere a opção que melhor se encaixa às necessidades do segurado. Dentre os diferenciais do seguro estão o capital máximo segurado de 1 milhão de reais; vigência da apólice de cinco anos; e a novidade, questionário de saúde totalmente online. 

“Ao corretor colocar um apontamento na declaração pessoal de saúde do cliente, tal informação vai automaticamente para a área médica. Com esse processo, mais rápido e enxuto, o tempo de análise para aceitação da proposta reduziu 70%, explica David Beatham, diretor de Massificados e Vida da Allianz Seguros.  

Outro fator que favorece a comercialização do produto é o aumento da presença de automação no sistema de cotação. “Agora, aqui na Allianz, solicitamos que sejam respondidas apenas quatro questões para cotar o Vida Individual, levando menos de 30 segundos para o processo”, conta Rodrigo Cezareto, superintendente de Vida. A agilidade ocorre, pois a seguradora passou a colher informações eletronicamente, em base internas e externas.  
     
Sobre a Allianz Seguros


No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Relatório de Riqueza Global Allianz: o fim da complacência
 
Ativos financeiros crescem 7,7%
Investimentos em valores mobiliários tem retomada – o retorno da inflação torna os depósitos bancários menos atraentes
Passivo continua crescendo – como as preocupações da capacidade de suportar dívidas
Brasil: crescimento de ativos financeiros desafia economia instável 
Globalização reduz a desigualdade mundial, mas aumenta a desigualdade dentro de países analisados 
 
A Allianz divulga 9ª edição do seu “Relatório de Riqueza Global”, que traz em detalhes a situação dos ativos e das dívidas das famílias em mais de 50 países. O ano de 2017 foi excepcional. Apesar das crescentes tensões políticas, foi um período quase perfeito para os investidores. A recuperação econômica após a crise financeira culminou em uma recuperação sincronizada em todo o mundo e os mercados financeiros tiveram um forte desempenho, particularmente os mercados acionários. Como resultado, os ativos financeiros das famílias aumentaram significativamente, 7,7%. Os ativos financeiros brutos globais aumentaram e passaram a 168 trilhões de euros.
 
"O ano passado foi muito bom para os poupadores", disse Michael Heise, economista-chefe do Grupo Allianz. “Foi o melhor que poderia obter, a era pós-crise acabou. Já passou a época em que uma política monetária extremamente expansiva previa uma tendência contínua e constante de alta nos mercados financeiros. Agora, os sinais são preocupantes: taxas de juros crescentes, conflitos comerciais e políticas cada vez mais populistas causam tensões e turbulências. O primeiro mês deste ano já deu uma antecipação amarga disso”. 
 
Retomada do investimento em títulos
Houve uma mudança notável no comportamento dos investimentos em 2017. Depois que os poupadores ignoraram amplamente as ações e os fundos de investimentos nos anos pós-crise, 2017 registrou fluxos significativos para essa classe de ativos. Sua participação no ano passado atingiu quase um quinto dos novos recursos e foi maior do que nos anos anteriores à crise. No contexto dos crescentes mercados bolsistas, isto significou que os títulos desfrutaram, de longe, o crescimento mais forte de todas as classes de ativos em 2017, aumentando 12,2% no total e representando mais de 42% de todas as poupanças no final de 2017. Isso é seguido pelos recebíveis de seguradoras e pensões, que representam 29% da carteira de ativos e cresceram 5,2% no ano passado.
 
Enquanto os investidores redescobriram os mercados de capitais, os depósitos bancários caíram em descrença em todo o mundo. Apenas 42% dos novos investimentos foram para bancos, em comparação com 63% no ano anterior. Em números absolutos, isso significou uma queda de mais de 390 bilhões de euros. Como consequência, os depósitos tiveram decréscimo de dois pontos percentuais ficando em 4,3% (parcela da carteira de quase 27%). "Os poupadores finalmente reconheceram os sinais dos tempos", disse Kathrin Brandmeir, coautora do relatório. “A retirada do interesse pelos depósitos bancários, particularmente nos ´velhos países industrializados´, não chegou nenhum segundo cedo. Porque a inflação encenou um retorno. Os aumentos de preços nesses países triplicaram em 2017 – embora ainda em baixo nível. Como resultado, a perda no poder de compra dos depósitos bancários também aumentou: estima-se que elas somem até 400 bilhões de euros apenas em 2017”. 
 
Nações industrializadas se recuperam e os EUA ultrapassam a China
Os anos que se seguiram à crise foram caracterizados principalmente pelo crescimento relativamente fraco de ativos nos países industrializados, em comparação aos países emergentes. Isso também mudou em 2017. A aceleração do crescimento deveu-se exclusivamente ao desenvolvimento nas nações industrializadas: enquanto esses países tiveram crescimento de mais de um ponto percentual, chegando em 6,5%, nos países emergentes, o índice diminuiu três pontos percentuais, indo para 12,9%.
 
A diferença de crescimento entre esses dois grupos de países ficou no nível mais baixo desde 2005, em 6,5 pontos percentuais. O valor médio da última década foi duas vezes maior; 13 pontos percentuais. Esta evolução contrastante em termos de crescimento dos ativos financeiros deveu-se em grande parte aos países de economia de grande peso, como a China, (onde o crescimento teve leve declínio de 18,3% para 14%) e os EUA (onde o crescimento acelerou de 5,8% para 8,5%). A América Latina, no entanto, contraria a tendência dos países emergentes: houve ligeiro aumento, para 12% (em 2016 era 10,9%). Os Estados Unidos superaram novamente a China em termos de crescimento absoluto. Em 2017, os EUA representaram cerca de 44% do crescimento global dos ativos financeiros brutos das famílias, enquanto a China representava apenas cerca de 25%. Esse índice cresceu 26% contra 35% nos últimos três anos, mas com a China saindo no topo.
 
Crescimento da dívida acelera mais rapidamente 
Os passivos das famílias em todo o mundo aumentaram 6% em 2017. A taxa de crescimento ficou ligeiramente acima do nível do ano anterior, de 5,5%. Na América Latina, também, o crescimento da dívida cresceu para 8,4%. 
 
Graças a um forte crescimento econômico, no entanto, o índice de endividamento global (passivos em percentagem do PIB) aumentou para 64,3% (América Latina: 28,8%). Essas médias globais naturalmente mascaram grandes diferenças. Em alguns países, os níveis e dinâmica da dívida alcançaram valores críticos nos últimos anos. “Na maioria dos países analisados, a dinâmica da dívida privada não é preocupante”, comentou Michaela Grimm, coautora do relatório. “No entanto, em particular na Ásia, há alguns países – como Tailândia, Malásia, Coréia do Sul e China, por exemplo – nos quais as agências de supervisão devem monitorar o desenvolvimento de perto. Nesses países, as semelhanças com os excessos de crédito antes da crise financeira não podem ser menosprezadas”. Apesar do forte crescimento do passivo, os ativos financeiros líquidos, ou seja, a diferença entre ativos financeiros brutos e as dívidas, alcançaram um novo recorde mundial de alta de 128,5 trilhões de euros de próximo de 2017. Isso representa um aumento de 8,3% em relação ao ano anterior.
 
Brasil: crescimento de ativos financeiros desafia economia fraca
Os ativos financeiros das famílias brasileiras cresceram 13,4% em 2017, ligeiramente maior do que no ano anterior, mas ainda dentro da média desde a crise financeira. Principal condutor desse aumento foi a classe de ativos de títulos, com um aumento de quase 20%. Contra o pano de fundo da grave recessão, esse crescimento saudável é reconfortante. Ao mesmo tempo, o passivo aumentou 5,7%, quase dobrando a taxa do ano anterior. Esse número também pode ser visto como uma indicação de que as famílias brasileiras, após dois anos de crise econômica, voltaram a olhar para o futuro com mais confiança. Como resultado, o índice de endividamento das famílias subiu para 38,2%, o último nível visto antes da recessão.
 
Os ativos financeiros líquidos cresceram 17,5% em 2017, um pouco acima do ano anterior e muito acima da média regional de 13,5%. Com um ativo financeiro líquido per capita de EUR 6.290, o Brasil ficou na 39ª posição na lista dos países mais ricos, subindo um degrau em relação ao ano anterior e trocando de local com a Eslováquia. No topo da lista, a Suíça, que recuperou o primeiro lugar perdido no ano anterior para os EUA. Em geral, os países europeus aparecem, em 2017, melhores do que nos anos anteriores, isto, no entanto, reflete em primeiro lugar um euro mais forte.
 
Mais participação graças à globalização
As últimas duas décadas de rápida globalização deram origem a uma nova classe média de riqueza global, que incluiu quase 1,1 bilhão de pessoas no final de 2017. Menos de meio bilhão de pessoas pertenciam a este grupo na virada do milênio, sendo pouco menos da metade deles da Europa Ocidental, América do Norte e Japão. Hoje, esses países representam apenas um quarto da classe média global. Já, a participação da China subiu de pouco menos de 30% para mais de 50% neste período. Os números que acompanham esta história de sucesso são impressionantes: cerca de 500 milhões de chineses subiram para se juntar à classe média global de riqueza desde 2000, e mais de 100 milhões podem agora considerar-se parte da classe alta mundial. Em contrapartida, menos de 10% dos membros da classe média global vivem na América Latina (e menos de 1% da classe alta da riqueza global).
 
Mais desigualdade nos países industrializados
O desenvolvimento da desigualdade no contexto nacional, no entanto, mostra um quadro bastante heterogêneo. A distribuição da riqueza melhorou em muitos países desde a virada do milênio – incluindo o Brasil –, mas em muitos outros ela se deteriorou. O último grupo inclui um grande número de países industrializados, desde os EUA até os países da União Europeia, na crise do euro, e até a Alemanha e o Japão. A percepção de que as "velhas" nações industrializadas, em particular, vêm sofrendo nas últimas décadas a partir de um crescente abismo entre ricos e pobres, parece, portanto, corresponder à realidade em muitos casos.
 
Um novo indicador para a distribuição nacional da riqueza
Para obter uma imagem diferenciada da distribuição de riqueza nacional em um contexto mundial, apresentamos um novo indicador neste relatório, o Allianz Wealth Equity Indicator (AWEI). Alguns dos resultados são surpreendentes. Junto com os "suspeitos usuais", EUA, África do Sul, Indonésia e Reino Unido, os países onde a distribuição de riqueza é fortemente distorcida também incluem a Dinamarca, a Suécia e a Alemanha. Na Escandinávia, isso se dá principalmente devido aos altos níveis de endividamento entre grandes partes da população; na Alemanha, a reunificação demorada do país e a falta geral de planos de pensão financiados por capital desempenham um papel crucial. 
 
Por outro lado, os países onde a distribuição de riqueza é relativamente equilibrada incluem muitos da Europa Oriental e Ocidental, alguns que passaram pela crise do euro, como Itália, Espanha e Grécia. Mesmo que os últimos anos de crise e austeridade possam ter levado a uma maior desigualdade, nos dois últimos países em particular, ainda têm uma base relativamente sólida para recorrer, já que os ativos têm sido tradicionalmente distribuídos de maneira ampla – e não menos importantes do que os ativos imobiliários. Apesar das recentes melhorias, o Brasil ainda está no meio-campo inferior neste ranking, refletindo seu legado de plutocracia. "Nosso novo indicador de patrimônio de riqueza mostra claramente que devemos ter cautela em tirar conclusões apressadas ou generalizadas", disse Michael Heise. “Além dos EUA, quase nenhum país está de acordo com o clichê de distribuição de riqueza que já é extremamente distorcido, mas ainda está piorando. Na maioria dos países, a nebulosidade ainda prevalece”.
 

Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Simplicidade e conectividade definem presença da Allianz Seguros no CONEC 
 
O atual modelo de negócio da seguradora proporciona mais autonomia e eficiência operacional ao corretor de seguros 
 
O sistema de cotação do Auto, Residência, Vida e Saúde PME está baseado em automação, com menos campos para preenchimento 
 
A Allianz Seguros leva ao 18º Congresso de Corretores de Seguros (CONEC) o Allianz Auto Instituto Ayrton Senna, Allianz Residência, Allianz Vida e o Allianz Saúde PME5 inteiramente automatizados. Tanto a cotação quanto emissão de apólices desses produtos estão disponíveis na ponta, ou seja, o corretor faz todo o processo de forma online, no Allianznet.  
 
A seguradora também estará presente no evento destacando o novo Allianz Saúde. Entre as novidades do produto estão o PME50 (de 50 a 199 vidas), benefícios exclusivos e valores de reembolsos mais competitivos. Os planos do Allianz Saúde ganharam ainda outras nomenclaturas, Exclusivo, Completo, Ampliado e Essencial. Todos oferecem cobertura nacional, com segmentação ambulatorial e hospitalar com obstetrícia e acomodação em quarto privativo.  
    
“O corretor é e sempre será o nosso principal canal de vendas. Assim, investimos em ações que aumentem a produtividade das corretoras, diversifiquem as carteiras e atendam às necessidades dos nossos clientes. Para isso, utilizamos a tecnologia como solução de conectividade e autonomia aos nossos parceiros e simplificação de processos e produtos, para que eles se tornem cada vez mais intuitivos e as cotações fiquem ágeis”, afirma Eduard Folch, presidente da Allianz Seguros. 
 
A seguradora receberá os corretores de seguros em seu estande “Allianz Parque”, que contará com telas interativas detalhando as principais inovações dos produtos. “A equipe Comercial ainda terá em mãos tablets para que os corretores possam simular cálculos do Auto, Residência e Vida e vivenciar a experiência de cotar produtos da Allianz em segundos”, conta Eduardo Grillo, diretor executivo Comercial da Allianz Seguros.   
        
Sobre a Allianz Seguros
No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

 

Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Allianz será parceira global de seguros das Olimpíadas

• Movimento Olímpico une forças com a Allianz como parceiro confiável.
• Desejo é utilizar o poder do esporte para se conectar com novos públicos por meio de canais digitais.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) e a Allianz anunciaram hoje (18) que a seguradora participará do Programa “TOP Worldwide Olympic Partner”, ou Parceiro Olímpico Global, a partir de 2021.

Com este acordo de patrocínio, a Allianz trabalhará com o COI para fornecer seguros inovadores e integrados para apoiar o Movimento Olímpico, sendo destinados aos Comitês Organizadores dos Jogos Olímpicos, com o intuito de prover soluções aos Comitês Olímpicos Nacionais em todo o mundo e suas equipes olímpicas e atletas. 

O suporte incluirá produtos existentes, como seguros de frotas e de Property & Casualty (P&C – propriedades e responsabilidades), mas também soluções de seguros para futuros produtos e serviços, impulsionados pelas mudanças tecnológicas. A parceria estará em vigor de 2021 a 2028. 

A intenção de ambos os parceiros é usar o poder do esporte para se conectar com novos públicos por meio de canais digitais, incluindo o Canal Olímpico. Engajar-se com a próxima geração pelos seus meios preferidos, como os meios digitais, dá à Allianz a oportunidade de conhecer e atender suas necessidades de seguro.

Sendo apoiador do Comitê Paralímpico Internacional desde 2006, mais recentemente como um parceiro internacional, a Allianz também se tornará um “Parceiro Paralímpico Mundial” a partir de 2021 como parte deste acordo.

O presidente do COI, Thomas Bach, disse: “Esta nova parceria demonstra o apelo global e a força do Movimento Olímpico e estamos felizes em trabalhar junto com a Allianz em longo prazo para apoiar o esporte em todo o mundo. A Allianz construiu seu negócio global baseado na confiança. Com esta parceria, juntos estamos construindo uma fundação baseada na confiança mútua. A Allianz também tem uma forte herança esportiva e, alinhamento com a Agenda Olímpica 2020, compartilhamos uma ambição digital de conexão com jovens de todo o mundo para promover os valores olímpicos e o poder do esporte”. 

Oliver Bäte, CEO do Grupo Allianz, disse: “Estou muito entusiasmado por nos unirmos a uma comunidade global de atletas e pessoas apaixonados pelo esporte e pelo trabalho em equipe - além de nossa forte parceria existente com o Comitê Paralímpico Internacional (IPC). Por meio dos canais digitais e sociais do COI, podemos nos conectar com mais pessoas do que nunca e oferecer a elas nossa especialização em seguros. Acreditamos que o mundo é um lugar melhor quando as pessoas têm a coragem de deixar as diferenças para trás e se unir para alcançar melhores resultados para si e para as sociedades em que vivem”.
Tsunekazu Takeda, presidente da Comissão de Marketing do COI, comentou: "Estamos muito satisfeitos em anunciar esta nova parceria com uma das empresas líderes mundiais em seu mercado e estamos ansiosos para iniciar uma nova jornada juntos."

Jean-Marc Pailhol, head global de Gestão de Mercado e Distribuição do Grupo Allianz, acrescentou: “Como uma seguradora líder mundial, a Allianz está diretamente incorporada em todos os grandes eventos que fazem e transformam nossa sociedade. É por isso que tornar-se parceiro mundial TOP na categoria de seguros do COI e do IPC é importante para nós. Trabalharemos juntos para levar as duas equipes ao próximo nível - digital, comercial e globalmente. Estamos entusiasmados com a oportunidade de levar a Allianz a novos mercados, além de fortalecer nossa posição nos territórios existentes. Juntamente com o COI e o IPC, essa é uma maneira perfeita de compartilhar nossa paixão pelo esporte e os benefícios sociais, físicos e mentais que traz para a humanidade”. 

O período de patrocínio cobrirá os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim 2022, os Jogos Olímpicos Paris 2024, os Jogos Olímpicos de Inverno 2026 e os Jogos Olímpicos de Los Angeles 2028. Na China, França e Espanha, a Allianz já terá direitos de comercialização a partir de 2019.

Em março de 2018, o COI e o IPC estabeleceram uma parceria de longo prazo entre as duas organizações até 2032. Como parte deste acordo, a partir de 2021, todos os Parceiros Mundiais TOP também serão Parceiros do IPC e dos Jogos Paralímpicos.

Sobre a Allianz Seguros
No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

 

Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

A chave para as chaves virtuais de carros

 

Não está longe o dia em que um aplicativo para smartphone poderá ajudar a abrir ou fechar o carro. Mas, com a conveniência de uma chave virtual vêm os desafios. Perder o telefone também significa perder o carro?
 
Qualquer pessoa que tenha perdido um smartphone sabe o quão incapacitante pode ser para o seu dia-a-dia. Um celular hoje não é somente um dispositivo para fazer e receber chamadas ou enviar e receber mensagens. É uma câmera, calendário, PDA (Personal Digital Assistant), agência bancária, tocador de música, laptop, monitor de saúde e uma infinidade de outras ferramentas em um só lugar. E logo, também pode ser a chave do seu carro.
 
Com a Internet das Coisas (IoT) tomando o mundo rapidamente, o dia para abrir e ligar o veículo por meio de um aplicativo não está longe – a chave do carro está a caminho de se tornar virtual. Alguns fabricantes já começaram a oferecer essa solução inovadora. Mas ter o carro controlado por chaves virtuais pode ser muito mais estressante do que por chaves físicas. Proibir, por exemplo, que filhos adolescentes peguem o carro emprestado pode ser mais difícil do que apenas esconder as chaves. Pior ainda, mesmo que a chave virtual não tenha saído do seu bolso, um hacker pode ganhar o controle do seu veículo.
 
É a primeira vez que a IoT e todo o ecossistema em torno dela estão ganhando acesso ao sistema eletrônico de um veículo, não apenas ao sistema de informação ou entretenimento. Isso significa que você terá que se preocupar com o roubo remoto? É aí que entra a questão do seguro. 
 
Se um carro for roubado, como funcionará o processo de sinistro? Para enfrentar os desafios, especialistas do Centro de Tecnologia Allianz (AZT), o centro de pesquisa de tecnologia automotiva do Grupo Allianz, formularam diretrizes para o projeto de chaves virtuais e armazenamento e processamento de dados relacionados. O AZT submeteu essas diretrizes ao Conselho de Pesquisa para Reparos de Automóveis (RCAR), órgão internacional de centros de pesquisa automotiva com 25 membros da Europa, Ásia, América do Norte, América do Sul e Austrália. O Grupo de Trabalho de Crimes Cibernéticos para Veículos da RCAR considerará a adoção dessas diretrizes como padrões internacionais para chaves virtuais de carros.
 
Conveniente, mas complexo
Com as chaves virtuais, a reivindicação de seguro se um carro for roubado pode ter mais etapas do que o processo convencional. Atualmente, se um carro for roubado, o cliente fornece as chaves do carro à seguradora para registrar o sinistro. A princípio, o processo poderia ser estendido para uma chave virtual. No entanto é muito provável que que um cliente hesite em entregar o smartphone, que leva a chave, à seguradora. Além disso, pode haver mais de uma chave virtual para um veículo em circulação. Assim, a seguradora precisaria dos smartphones de todos que tivessem a chave virtual; mais um empecilho real.
 
Portanto, um processo para retirada é necessário e a documentação pode ser exigida por uma parte independente, por exemplo, a montadora. Se a autorização foi retirada após um roubo, a prova disso teria que ser enviada para o processo de sinistros, em vez dos smartphones.
 
"Temos que garantir que podemos indenizar nossos clientes sem complicação em caso de roubo, mesmo se uma chave virtual for usada", diz Jochen Haug, responsável por Sinistros na Allianz Versicherungs-AG, uma divisão da Allianz Alemanha.
 
Diretrizes de segurança
Apesar da conveniência, é a confiança que influenciará na implantação de chaves virtuais de carros. "Isso só acontecerá se a segurança dos dados estiverem garantidas", diz Christoph Lauterwasser, diretor AZT e presidente do comitê diretor da RCAR.
 
Para garantir a segurança dos dados e da tecnologia, o AZT propôs algumas diretrizes. Entre elas estão:
 
• Não será possível "copiar" a chave virtual e deverá haver transparência sobre quantas chaves existem para um determinado veículo.
 
• Uma lista clara, transparente e fixa de todos os usuários autorizados da chave deve ser fornecida ao cliente e à seguradora se o veículo for roubado. Além disso, o cliente deverá revogar imediatamente todas as autorizações.
 
• A autorização para entrar no veículo deve ser separada da autorização para dirigi-lo. Isso não apenas aumenta a segurança, mas também permite modelos de serviço futuros, como "Delivery to the car boot".
 
• O ambiente de dados para armazenar e acessar a chave virtual deve ser completamente separado de outros aplicativos. Dados críticos, como autorizações e cálculos de chaves, devem ser limitados a um ambiente de armazenamento e execução seguros.
 
As diretrizes deverão nortear todos os países e o processo de automação de chaves para carros. "Os riscos relacionados a chaves virtuais não se limitam a um país, pois são internacionais e globais", diz Lauterwasser. “Essas diretrizes foram projetadas para serem independentes de tecnologias específicas e fabricantes específicos. Elas abordam a indústria mundial de automóveis”.
 
Moldando o futuro da mobilidade
As chaves virtuais são apenas um dos exemplos de como o AZT está interagindo com a indústria automotiva no tratamento de novas tecnologias. Fundado em 1971, o AZT investiga tecnologias automotivas relevantes para o mercado de seguro com uma abordagem científica. Especialistas do Centro de Tecnologia estão em contato constante com as indústrias de manufatura e reparo de automóveis, universidades e a indústria de seguros.
 
“Estamos vendo um rápido aumento no ritmo de desenvolvimento de novas tecnologias em veículos mais novos. Muitos deles têm um impacto direto em nossos riscos segurados, bem como nos reparos e no modo como as reclamações são tratadas”, diz Lauterwasser.
 
Atualmente, os tópicos de foco do AZT são automação de veículos, sistemas de assistência ao motorista, sistema eletrônico e de dados, veículos elétricos, entre outros. Todos eles levantam muitas questões que exigem uma estreita colaboração para criar soluções sustentáveis e seguras para os clientes.

Sobre a Allianz Seguros


No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

 

Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Allianz lidera o Índice Dow Jones de Sustentabilidade 2018 como a seguradora mais sustentável

• O Grupo é líder do setor pela segunda vez consecutiva em Sustentabilidade com 85 pontos em 100.
• Eleita a melhor do setor em estratégia climática, desenvolvimento de capital humano, segurança da informação, estratégia tributária e inclusão financeira.
• Integração dos investimentos proprietários e operações de negócios com a meta climática de impedir que o aumento da temperatura do planeta supere os 2 graus.

 
São Paulo, 13 de setembro de 2018 – O Grupo Allianz alcançou a liderança e se estabeleceu como líder do setor entre todas as seguradoras classificadas no Índice Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI). Esta é a segunda vez consecutiva que a empresa alcança a primeira posição. Nos resultados do índice de sustentabilidade mais relevante do mundo, publicado hoje, a Allianz alcançou 85 pontos, bem acima da pontuação média do setor, que foi de 47 pontos.

Desde 2000, a empresa faz parte do DJSI, que avalia os critérios ambientais, sociais e de governança (ESG). Somente as empresas mais sustentáveis das 2.500 pertencentes ao Índice Dow Jones Global de Ações (DJGTSM) estão listadas nessa categoria.
 
“Estamos muito satisfeitos com este resultado. Isso mostra que nosso foco em critérios ecológicos, sociais e de governança está sendo reconhecido por especialistas externos em sustentabilidade", diz Günther Thallinger, membro do Conselho de Administração da Allianz SE e responsável pelos Investimentos e ESG. “Como uma seguradora, investidora e empregadora responsável, contribuímos para o desenvolvimento social e econômico positivo em todos os mercados em que estamos presentes”. A Allianz cria valor agregado ecológico e social mensurável por meio de produtos sustentáveis, operações comerciais favoráveis ao clima, engajamento social, entre outros.
 
Entre os resultados importantes do último ano, destacam-se:
 
• 165 seguros e produtos financeiros com benefícios ecológicos ou sociais
 
•  5,6 milhões de euros investidos em energias renováveis (desde 31/12/2017)
 
• Redução de carbono gerado por empregado em 17% (em comparação com 2010)
 
• Engajamento social com cerca de 80 mil horas de trabalho voluntário de seus funcionários e 20 milhões de euros em doações por uma boa causa.
 
Ao aderir à Iniciativa de Metas Baseadas na Ciência (SBTi), a Allianz estabeleceu objetivos de longo prazo para a proteção do clima. No futuro, a meta do Acordo Climático de Paris, de impedir que o aumento médio da temperatura do planeta supere os 2 graus, será integrada ao investimento dos prêmios dos clientes de seguros. Para este fim, todos os investimentos negociáveis devem ser estruturados dentro do acordo até 2050. 
 
Para apoiar essa transformação de longo prazo em direção a uma economia de baixo carbono, a Allianz está em diálogo ativo com as empresas para definir e implementar suas próprias metas de proteção climática. O primeiro passo está sendo dado em quatro setores particularmente intensos em gastos de energia, incluindo o de transportes. Na carteira do setor de energia, o valor limite para o teor máximo de carvão será reduzido de 30% para 25% até 31 de dezembro de 2022. O limite refere-se à receita gerada pela mineração de carvão ou à porcentagem de eletricidade gerada a partir do carvão pelas empresas de energia. As medidas seguem a abordagem de pontuação de critérios ambientais, sociais e de governança (ESG) da Allianz, que atualmente é aplicada a empresas com altos riscos ESG. Atualmente, a Allianz está trabalhando com especialistas reconhecidos em clima, de organizações não-governamentais e empresas comprometidas dentro do SBTi para desenvolver ferramentas de análise comercializáveis para os investidores integrarem a meta de não ultrapassar os dois graus. 
 
Muitas empresas ainda são incapazes de fazer declarações precisas sobre suas emissões de gases de efeito estufa ou de sua cadeia de fornecimento devido à falta de dados e procedimentos. "Ainda há muito trabalho pioneiro a ser feito. Como um investidor de longo prazo, precisamos de métodos válidos o mais rápido possível para avaliar as estratégias climáticas das empresas investidas. A adaptabilidade dos modelos de negócios à meta de dois graus será, no futuro, um critério de seleção decisivo para o nosso portfólio”, explica Günther Thallinger. "É importante limitar o aquecimento global o mais rápido possível e isso só terá sucesso se os negócios e a política seguirem na mesma direção". 
 
Com o objetivo de alcançar a meta de dois graus, a Allianz também pretende reduzir significativamente emissões próprias de carbono em longo prazo. Uma das próximas medidas importantes é, nos próximos anos, consumir apenas de fontes de energia renováveis toda a eletricidade das operações comerciais do Grupo Allianz.
 
Sobre o DJSI
 O DJSI é uma das classificações de sustentabilidade mais reconhecidas do mundo. O DJSI é preparado com base no RobecoSAM Corporate Sustainability Assessment (CSA). A CSA avalia uma empresa com base em suas divulgações públicas e transparência de sua abordagem em sustentabilidade, bem como dados internos e confidenciais fornecidos diretamente pela empresa. Ele considera uma ampla variedade de tópicos econômicos, ambientais e sociais, como programas de recursos humanos, remuneração de executivos, políticas tributárias, direitos dos acionistas, programas de conformidade e anticorrupção, gestão e desempenho ambiental, engajamento social corporativo, satisfação do cliente e outras dimensões.

 

Sobre a Allianz Seguros
No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

 

Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Allianz: empresa que mais satisfaz os clientes em “Seguros Gerais”


São Paulo, 11 de setembro de 2018 – A Allianz Seguros foi eleita uma das “100 Melhores Empresas em Satisfação dos Clientes no Brasil” pelo segundo ano consecutivo. A seguradora foi ainda a vencedora da categoria “Seguros Gerais” e em “Seguros de Veículos” figurou entre as cinco primeiras colocadas. Esses dados foram apontados em pesquisa realizada pelo Instituto MESC. O reconhecimento concretizou a atuação da Allianz em priorizar o entendimento das necessidades e desejos de seus clientes para proporcionar experiências com alto valor agregado, além de ofertar produtos com processos de aquisição simples e ágeis.   

Para chegar às finalistas da edição de 2018, o estudo consultou 1,5 milhão consumidores pertencentes ao Programa de Recompensas MESC, que remunera pessoas para opinar sobre produtos e serviços, entre março de 2017 e 2018. As empresas foram eleitas a partir de um universo de 6 mil companhias avaliadas, pertencentes a 42 segmentos de mercado. A cerimônia de premiação aconteceu ontem, 10, no Teatro das Artes, em São Paulo.

Sobre a Allianz Seguros

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).


Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Allianz Seguros é reconhecida por excelência em produto


Na noite de ontem, 4, a Allianz Seguros recebeu o Troféu Gaivota de Ouro na categoria “Excelência em Produtos de Seguradoras”, em cerimônia de premiação do Prêmio Mercado de Seguros ocorrida no Clube Armenio. O reconhecimento foi concedido à carteira de Riscos Industriais.  

A performance alcançada pela Allianz é resultado de ações estritamente relacionadas à modalidade, como equipe de subscrição especializada e qualificada para atuação em riscos industriais, apoio da área de Loss Control em inspeções e acompanhamentos fundamentais aos clientes e orientação aos segurados na gestão de risco.  

O Prêmio Mercado de Seguros está na 18ª edição e é organizado pela revista Seguro Total.

Sobre a Allianz Seguros

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

 

Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Megacidades e os “mega-desafios” de mobilidade
 

A explosão no crescimento do número de grandes cidades e sua população tornou a mobilidade urbana um problema que implora por atenção. Quais os desafios e quais poderiam ser as soluções?

 

A humanidade parece estar se espremendo em porções cada vez menores do planeta

Nas últimas décadas, pessoas de países desenvolvidos e em desenvolvimento têm cada vez mais se aglomerado nas cidades

Em São Paulo, metade dos adultos gasta pelo menos duas horas por dia no trânsito 

 

São Paulo, 3 de setembro de 2018 – É um fenômeno novo e difícil. Por séculos, pessoas têm se mudado do campo em busca de educação e oportunidades de trabalho. De volta a 1800, quando Pequim se tornou a primeira cidade da era moderna com um milhão de habitantes, apenas duas pessoas a cada 100 viviam em cidades.

 

Já em 2017, pela primeira vez, a maioria da população viveu em áreas urbanas e não mais rurais. A projeção é que isso cresça para 66 pessoas a cada 100 até 2050. Ainda nada tem marcado o triunfo das cidades como a ascensão das megacidades. Nova York foi a primeira que passou da marca de 10 milhões de habitantes em 1950. Desde então, o número de megalópoles cresceu rapidamente. Em 2016, elas eram 31, a maioria na Ásia, incluindo Pequim, Xunquim e Xangai na China e Deli e Mumbai na Índia. 

O Japão tem Tóquio, que, com 37,8 milhões de habitantes, tem a maior aglomeração urbana de pessoas no mundo, e Osaka. Existem mais pessoas “compactadas” dentro da cidade de Carachi no Paquistão (27 milhões) do que as contabilizadas no continente inteiro da Austrália (24 milhões). A China já começou a construir a infraestrutura para Jing-Jin-Ji, a megalópole prevista para englobar Pequim, Tianjin e Hebei, com 130 milhões de pessoas e será 137 vezes o tamanho de Londres. 

 

O problema da aglomeração

- Tóquio é a maior cidade do mundo com 38 milhões de habitantes

- Deli é a segunda com 25 milhões, seguido por Xangai com 23 milhões e Cidade do México, Mumbai e São Paulo, cada uma com cerca de 21 milhões de cidadãos

- Tóquio está prevista para permanecer como a cidade mais populosa do mundo com 37 milhões de habitantes, seguido por Deli, onde a projeção é que a população cresça rapidamente até 36 milhões

 

Sinais vermelhos

Como as grandes metrópoles ao longo da história, as megacidades oferecem oportunidades de cultura, negócio, conhecimento e indústrias. As multidões são guiadas pela esperança e pobreza existentes no campo. Entretanto, existem os lados negativos de reunir tantas pessoas dentro de espaços tão pequenos. 

Além da criminalidade, escassez de água, destruição e desperdício do meio ambiente, os serviços frequentemente se mostram inadequados frente às crescentes demandas. Muitas pessoas em lugares, como Manila nas Filipinas, Cidade do México e Mumbai, na Índia, simplesmente acabaram trocando a esmagadora pobreza rural pelas favelas urbanas. 

 

Movimentos restritos

Nas grandes cidades, mobilidade é um problema frequentemente subvalorizado. O tópico foi discutido durante a “Urbagora”, a primeira conferência europeia a respeito do futuro da vida urbana, organizado pelo Instituto de Megacidades, localizado na cidade de Paris – a organização sem fins lucrativos foi cofundada pela Allianz França. Entre os temas abordados no encontro, foi citado, por exemplo, como o alucinante crescimento urbano da China ajudou a impulsionar a economia do país nas últimas três décadas. Hoje a China tem seis grandes cidades e outras 100 são a residência de um milhão ou mais de pessoas.

Mais “urbanóides”, mais dinheiro, o que significa mais rodas nas estradas. O número de carros na China cresceu de 59 milhões em 2007 a pouco mais de 300 milhões, de acordo com o Ministério Chinês de Segurança Pública.

Uma das consequências é que a China agora tem 10 das 25 cidades mais congestionadas globalmente. A velocidade média na hora de rush em Jinan, a capital da província de Shandong, província no nordeste da China, é abaixo de 20 km/h – a mais lenta do mundo. As estradas em Pequim e Xangai estão frequentemente congestionadas. A China está longe de ser a única a ter problemas com mobilidade. Em São Paulo, metade de todos os adultos gasta pelo menos duas horas por dia no trânsito, o que faz a média de uma hora por dia de Nova York parecer tranquila. 

 

Mais rodas, mais problemas

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Megacidades, com as 20 maiores cidades no mundo, identificou cinco problemas críticos relacionados à mobilidade urbana – problemas de estacionamento, congestionamento, áreas verdes limitadas e poluição sonora e do ar. 

A poluição no ar é a maior preocupação dos moradores das cidades. Por exemplo: em 2013, Xangai sofreu durante 124 dias quando uma camada superfina de poluição excedeu 600 microgramas por metro cúbico. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda não mais que 10 microgramas e estima que a poluição em espaços abertos causou 3 milhões de mortes prematuras no mundo em 2012.

As emissões do trânsito continuam a contribuir significativamente para as condições ruins do ar que permanecem como pragas das cidades chinesas. Em âmbito mundial, em 2014, a OMS estimou que 92% da população estava vivendo em lugares onde a orientação dos níveis de qualidade do ar não eram cumpridas.

 

População urbana inteligente

Cidades cobrem mais ou menos 2% da superfície, mas consomem cerca de 75% dos recursos naturais, de acordo com a Euramet. Megacidades são particularmente vorazes no consumo de recursos. As Nações Unidas projeta que o número de megacidades irá subir para 41 em 2030. Até lá, elas abrigarão cerca de 9% da população global. 

Então, como podemos lidar com a rápida e contínua urbanização no mundo?

Inovação e novas tecnologias podem prover as ferramentas necessárias para fazer as cidades mais inteligentes e reduzir o impacto negativo do estilo de vida adotado nelas. 

 

Sobre a Allianz Seguros

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.

 

A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.

 

A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Informações à Imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Allianz Seguros participa de feira de profissões de empresas e escolas alemãs em São Paulo

 

Nesta sexta-feira, 24, a Allianz Seguros participa da Feira de Empresas e Escolas Alemãs de São Paulo (FEASP), promovida pela Câmara de Comércio Brasil-Alemanha. Com palestras e workshops sobre diversas profissões, o evento tem por objetivo oferecer orientação profissional aos alunos do Ensino Médio dos colégios Porto Seguro e Humboldt.
 
Com o tema “Gestão de Risco – Ciências Atuariais”, Adilson Raul Silva, superintendente de Precificação e Excelência Técnica da Allianz Seguros, apresentará aos participantes a profissão na área de Ciências Atuariais, que envolve conceitos de matemática estatística e financeira para analisar riscos e precificar os seguros. 

Durante a feira, a equipe de Recursos Humanos e Adilson estarão à disposição dos participantes para tirar dúvidas e aproximar os futuros profissionais à cultura da empresa. 

O evento acontece no Colégio Visconde de Porto Seguro - Unidade Morumbi, das 9h às 13h, com a participação de diversas empresas associadas à Câmara de Comércio Brasil-Alemanha. 
 

Sobre a Allianz Seguros

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

 

 

Informações à Imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Resultados trimestrais e do semestre do Grupo Allianz

 

Grupo reporta resultados robustos para o segundo trimestre de 2018 e confirma previsão para o ano

- Receitas internas crescem 6,5% no segundo trimestre de 2018

- No segundo trimestre de 2018, lucro operacional subiu 2,3% e chegou a €3,0 bilhões de euros

- No segundo trimestre de 2018, o lucro líquido atribuível aos acionistas caiu 5,2 % para €1,9 bilhão de euros devido ao impacto negativo anteriormente anunciado decorrente da venda do portfólio de Vida em Taiwan

- Coeficiente de capitalização Solvency II aumentou para 230 %

- O Grupo Allianz está em vias de realizar sua meta de lucro operacional para 2018 

 

Resumo Executivo: todos os segmentos reportam forte crescimento das receitas internas

Após uma boa largada no início de 2018, o Grupo Allianz seguiu apresentando bom desempenho no segundo trimestre. Os indicadores se mantiveram próximos ou superaram os níveis do segundo trimestre de 2017, apesar das onerações impostas por instabilidades geopolíticas e flutuações cambiais. O crescimento das receitas internas, com os ajustes por efeitos cambiais e de consolidação, foi de 6,5% com todos os segmentos da empresa registrando forte crescimento. As receitas totais cresceram 2,9%, atingindo €30,9 (no segundo trimestre de 2017 foram €30,0) bilhões de euros. O Lucro operacional aumentou 2,3% e foi a €3,0 (€2,9) bilhões de euros. No segmento empresarial de Gestão de Ativos, o lucro operacional cresceu devido às receitas maiores, as quais foram impulsionadas pelos maiores volumes de ativos sob gestão (AuM), e às margens ampliadas. Isso mais do que compensou pelo declínio no lucro operacional do nosso ramo de Vida e Saúde. O lucro operacional no segmento Property & Casualty (todos os seguros, exceto Vida e Saúde) ficou estável. O lucro líquido atribuível aos acionistas diminuiu ligeiramente para €1,9 (€2,0) bilhão de euros -- o impacto negativo pela venda do nosso tradicional portfólio de seguro de vida em Taiwan foi apenas parcialmente neutralizado pela redução nos impostos sobre rendimentos.

Lucro Básico por Ação (EPS) aumentou 5% passando a €8,86 (contra €8,45) euros no primeiro semestre de 2018. O Retorno sobre o Patrimônio Líquido (RoE) anualizado aumentou para 13,8 % (contra 11,8% no ano inteiro de 2017). A Allianz manteve sua acentuada capitalização, com um coeficiente de capitalização Solvência II de 230% no final do trimestre, comparado aos 225% registrados no final do primeiro trimestre de 2018.

No primeiro semestre de 2018, o lucro operacional decresceu 1,8%, indo para €5,8 (€5,9) bilhões de euros, levado sobretudo pelo nosso ramo de Vida e Saúde, devido à normalização da margem de investimento e à taxa cambial desfavorável. O lucro operacional no negócio de Gestão de Ativos cresceu, graças às maiores receitas impulsionadas pelas receitas dos ativos sob gestão (AuM). O lucro operacional de Property & Casualty aumentou ligeiramente comparado aos resultados do ano anterior. No geral, o lucro operacional para os primeiros seis meses está ligeiramente acima da média esperada para o ano inteiro. A redução nos impostos sobre rendimentos contrabalançaram o recuo no lucro operacional e no resultado não operacional: o lucro líquido atribuível aos acionistas ficou, portanto, estabilizado em €3,8 (€3,8) bilhões de euros.

No dia 2 de julho de 2018, o Grupo Allianz anunciou um novo programa de recompra de ações, com um volume de até €1,0 bilhão de euros. O programa será encerrado em 30 de setembro de 2018 e todas as ações recompradas serão canceladas.

"Nós continuamos rumo à realização da nossa meta de lucro operacional proposta para 2018. Sou muito grato a todos da equipe Allianz por possibilitarem que isso se realizasse em todos os países e em nossas empresas. Isso me deixa confiante de que iremos atingir as metas trienais do nosso Renewal Agenda", declarou Oliver Bäte, CEO do Grupo Allianz.

 

Seguro P&C (Property-Casualty): acentuado crescimento interno e bom desempenho operacional

 

- Os Prêmios brutos subscritos totalizaram €12,1 (€11,7) bilhões de euros no segundo trimestre de 2018. Com os ajustes por correção cambial e efeitos de consolidação, o crescimento interno totalizou 7,3 %, com os efeitos de preço e volume contribuindo com 2,2% e 5,1% respectivamente. Os principais motores desse crescimento foram AGCS, Allianz Partners e as operações na Alemanha.

- O índice combinado se elevou a 94,1% (antes 93,7%) no segundo trimestre de 2018, refletindo um índice de sinistralidade mais elevado decorrente de grandes perdas e de eventos climáticos maiores também, parcialmente compensados por um coeficiente de despesa aumentado.

- O Lucro operacional permaneceu estável em €1,455 (€1,446) bilhão de euros. 
 

"Os bons resultados em Property & Casualty mostram a força subjacente da nossa empresa. Tivemos avanços na nossa iniciativa de produtividade, conforme demonstra o coeficiente de despesa. E continuamos a caminho para cumprir a nossa meta de 94% no índice combinado," afirmou Giulio Terzariol, diretor Financeiro do Grupo Allianz.

No primeiro semestre de 2018, os prêmios brutos subscritos aumentaram ligeiramente para €30,0 (comparado a a €29,4) bilhões de euros. Com os ajustes por correção cambial e efeitos de consolidação, o crescimento interno totalizou 5,9 %, impulsionado sobretudo pelos desdobramentos positivos da AGCS, nas operações da Alemanha, e da Allianz Partners. O Lucro operacional aumentou ligeiramente em 0,9%, passando a €2,729 bilhões de euros, comparado ao mesmo período do ano anterior, devido ao melhor resultado na subscrição. O índice combinado para o primeiro semestre  aumentou em 0,2 pontos percentuais e foi a 94,4 %.

 

Seguro Vida e Saúde: novo negócio ainda melhor

- PVNBP, o valor atual dos prêmios dos novos negócios (PVNBP) aumentou para €14,0 (€13,6) bilhões de euros no segundo trimestre de 2018, principalmente por conta das vendas maiores de produtos eficientes em termos de capital no ramo alemão de seguro Vida.

- A margem de novos negócios (NBM) se fortaleceu um pouco indo para 3,5% (3,4%)  devido ao mix de negócios favorável e ao nível da taxa de juros um pouco mais alta. O valor de novos negócios (VNB) se elevou a €491 (€469) milhões de euros no trimestre movido pela continuação da mudança para produtos eficientes em termos de capital.

- O Lucro operacional recuou 4,6% ficando em €1,075 (€1,128) bilhão de euros devido à menor margem de investimento na Espanha e no nosso ramo alemão de Vida. O reflexo negativo dos efeitos cambiais, sobretudo dos Estados Unidos devido ao enfraquecimento do dólar, também contribuíram para essa redução.
 

"Os resultados positivos da nossa mudança em andamento para um mix de produtos mais eficientes em termos de capital atestam a nossa capacidade em nos adaptarmos a um ambiente de taxas de juros altamente desafiadoras. Nossa margem de novos negócios de 3,5 % está bem à frente da meta prevista, e o valor dos novos negócios se elevou a €491 milhões de euros no trimestre, exibindo um bom crescimento trimestral de 5%", disse Terzariol.

No primeiro semestre de 2018, o PVNBP subiu para €29,0 (€28,4) bilhões de euros, em grande medida devido às vendas maiores dos nossos produtos eficientes em termos de capital no nosso negócio alemão de Vida e dos nossos produtos de seguro de unidade variável (unit-linked) sem garantias em Taiwan. O lucro operacional teve redução para €2.144 (€2.282) bilhões de euros em decorrência das condições de mercado menos favoráveis e dos efeitos cambiais francamente adversos da transposição cambial nos EUA.

O NBM subiu para 3,4% (3,3%) por cento, elevando o VNB a €980 (€922) milhões de euros.

 

Gestão de Ativos: crescimento continuado em faturamento e no lucro operacional – Total dos recursos sob gestão atinge o maior nível já registrado

- Recursos de terceiros sob gestão (AuM) cresceram em €35 bilhões de euros (2,5 %) alcançando €1,464 trilhão de euros, comparado ao final do primeiro trimestre de 2018. Esse aumento se deveu a efeitos positivos da transposição cambial. As saídas líquidas de recursos de terceiros totalizaram €9,2 bilhões de euros. O total de AuM registrou um recorde de €1,993 trilhão de euros.

- A relação custo-rendimento (CIR) melhorou 0,9 ponto percentual e foi para 61,6 % no segundo trimestre de 2018, visto que o aumento nos rendimentos superou o aumento nas despesas.

- O Lucro operacional aumentou 11,6% e bateu em €652 (€584) milhões de euros no segundo trimestre de 2018. Isso se deveu a um aumento no rendimento operacional, decorrente tanto da média mais elevada de AuM como de uma margem ampliada. Após o ajuste pelos efeitos da transposição cambial, o lucro operacional teve alta de 18,8 %.


"A combinação de maior volume de ativos sob gestão, margens mais altas e um coeficiente de custo-rendimento mais baixo leva a um crescimento de dois dígitos no lucro.  Ao passo que tivemos saídas líquidas no trimestre, registramos entradas líquidas para os meses de junho e julho. Estamos muito satisfeitos com a performance da nossa  Gestão de Ativos ," disse Giulio Terzariol.

No primeiro semestre de 2018, as receitas operacionais cresceram 4,6% alcançando €3,3 bilhões de euros, principalmente devido a uma média maior de AuM de terceiros na PIMCO e a um crescimento nas margens impulsionado por AuM, tanto na PIMCO como na AllianzGI. Como as despesas operacionais subiram apenas 2,7 %, o CIR recuou 1,2 ponto percentual e caiu para 61,7 %. O lucro operacional subiu 7,9 % e bateu na casa dos €1,247 (€1,156) trilhão de euros. Adicionalmente, os efeitos cambiais favoráveis e as entradas de terceiros superaram os efeitos de mercado negativos, resultando em AuM de terceiros da ordem de €1,464 trilhão de euros – um aumento de €17 bilhões de euros comparado ao final do ano de 2017.

 

Sobre o Grupo Allianz

O Grupo Allianz é uma das principais seguradoras e gestora de ativos do mundo com mais de 88 milhões de clientes corporativos e de varejo. Os clientes da Allianz se beneficiam de uma ampla gama de serviços de seguros pessoais e corporativos, que vão de seguros de propriedade, vida e saúde aos serviços de assistência ao seguro de crédito e de negócios globais. A Allianz é um dos maiores investidores do mundo, gerindo mais de €660 bilhões de em nome de seus clientes, enquanto nossos gestores de ativos Allianz Global Investors e PIMCO gerem mais €1,4 trilhão de ativos de terceiros. Graças à nossa integração sistemática de critérios ecológicos e sociais em nossos processos de negócios e decisões de investimento, mantemos a posição de liderança para seguradoras no Índice Dow Jones de Sustentabilidade. Em 2017, com mais de 140.000 colaboradores em mais de 70 países, o Grupo Allianz obteve uma receita total de €126 bilhões e um lucro operacional de €11 bilhões.

 

Para mais informações, entre em contato com:

Christian Kroos Tel. +49 89 3800 5043

Daniela Markovic Tel. +49 89 3800 2063

 

Assessoria de Imprensa Allianz Brasil

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

“Alerta Anticolisão" no celular avisa motorista sobre risco de acidente frontal

O sistema, que não consome dados dos planos, foi criado em prol de um trânsito mais seguro pela Ogilvy Brasil, em parceria com a Allianz Seguros e o Movimento Maio Amarelo.

 

 

De acordo com o OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, o celular já é a segunda maior causa de acidentes no Brasil e dois segundos de distração são suficientes para um sinistro. Diante de dados como esses, surgiu o "Alerta Anticolisão", que, inclusive, segue as diretrizes do Movimento Maio Amarelo, o qual tem como proposta chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. Para o motorista entender como funciona o “Alerta Anticolisão”, pode assistir ao vídeo: https://youtu.be/XaGivsL3lgE

 

Com o sistema, o celular deixa de ser um acessório, fonte de distração e sinônimo de risco, e passa a ser um assistente de direção frontal, ajudando a prevenir acidentes, já que, também segundo o OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, a colisão frontal, comum em vias de pista única, produz o maior número de fatalidades, uma vez que no momento do impacto somam-se as velocidades dos dois veículos. Para ter acesso ao serviço, basta que o motorista, com o carro parado, acesse o site www.alertaanticolisao.com.br.

 

Após abrir o link do "Alerta Anticolisão", desenvolvido pela Ogilvy Brasil e pela D2G tecnologia, em parceria com a Allianz Seguros e o Movimento Maio Amarelo, o motorista deve posicionar o celular na posição vertical, no centro do painel, e enquadrá-lo corretamente, de frente para o para-brisas. Assim, o aparelho começa a rastrear os objetos a seguir. Por meio de ferramenta de inteligência artificial, especialmente preparada para essa ação, imagens são processadas no próprio celular do usuário. Sempre que a distância do carro da frente ultrapassar os limites de segurança, o motorista ainda ouve um alerta sonoro. O sistema é gratuito e não consome os dados do plano após entrar na aplicação.

 

Para engajar os motoristas ao trânsito mais seguro, a Ogilvy também criou uma campanha para as mídias sociais, com a hashtag #alertaanticolisãoAllianz.

  

 

Sobre a Allianz Seguros
 

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.


A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.

A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Allianz recebe corretores em estande e almoço no Brasesul

Entre os dias 19 e 20 de julho, a Allianz Seguros participa do Congresso Sul Brasileiro dos Corretores de Seguros (Brasesul) 2018. Com o tema “Caminhos, alternativas e soluções”, as palestras e os painéis do evento tratarão da aplicação da tecnologia no setor de seguros e na relação do mercado com os clientes.

A Allianz estará presente no Brasesul com estande, que servirá de ponto de encontro entre a equipe comercial das 11 filiais da região Sul e os corretores de seguros, principal canal de vendas da companhia. Eduardo Grillo, diretor executivo Comercial, ainda receberá os parceiros de negócios em almoço promovido pela seguradora no dia 20.

 

Sobre a Allianz Seguros
 

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.


A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.

A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Aviso de férias: corretor, compartilhe 11 dicas da Allianz com o seu segurado

A seguradora indica quais itens do carro devem ser verificados antes de sair para viajar
 
O mês de julho está chegando e, com ele, a Copa do Mundo, as férias e todo aquele clima agradável de descanso. Nessa época, o pessoal se prepara para viajar ou para dar aquela esticada até a praia ou cidade do interior. Mas, para isso, é preciso tomar alguns cuidados com o carro para que a viagem não seja interrompida. Para ajudar, a Allianz Seguros separou dicas para você, corretor de seguros, precaver o seu segurado:
 
Itens básicos
A checagem de itens básicos como pneus, rodas, triângulo, macaco, chave de roda, suspensão, rodas, nível do óleo e de fluídos, assim como faróis e lanternas são imprescindíveis antes de sair da garagem.
 
Combustível
Saiu da garagem, encha o tanque. Além de ser muito importante para não causar a famosa pane seca, que, por sinal, acarreta uma multa no valor de R$ 130,60 e 4 pontos na CNH, um combustível de qualidade faz o motor do carro funcionar melhor.
 
Alinhamento
É muito importante verificar o alinhamento do carro, para que o mesmo não faça movimentos involuntários, saía da rota ou avance nas curvas.
 
Sistema elétrico
O que muita gente não sabe é que o carro consome energia até desligado. Por isso, vale a pena prestar atenção a alguns sinais, como a potência das luzes do carro e do painel ou demora para dar a partida. Para esse tipo de revisão, programa-se com certa antecedência, para que, se necessário, seja possível realizar a troca de peças sem atrapalhar o tempo da viagem.
 
Parada obrigatória
O nível de fluído dos freios e possíveis vazamentos também devem ser checados. O cuidado deve ser redobrado caso haja ruídos, perda de efetividade e dificuldade de resposta do pedal, nesses casos há revisões detalhadas.
 
Visão sem crise
As lâminas, as borrachas e o reservatório de água do para-brisa devem ser checados antes de cair na estrada. A visibilidade é um item imprescindível, principalmente em condições adversas, como em chuvas.
 
Os itens citados acima são bem analisados quando o segurado faz um check-up com antecedência. Mas, há outras dicas que também devem ser seguidas para o bem-estar da viagem, confira:
 
Documentos em dia
Seja para andar no território nacional como para atravessar fronteiras, os documentos do carro e do motorista precisam estar em dia. É importante levar consigo a CNH e o Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV). Verifique também a lista de exigências do país de destino. 
 
Cinto de segurança
Está na lei o uso obrigatório do cinto de segurança para motoristas e passageiros, inclusive no banco traseiro. Segundo pesquisas da Universidade de Tóquio, o uso do cinto reduz em 80% o risco de fatalidades de passageiros no banco da frente.
 
Bagagem
A bagagem deve se limitar ao porta-malas. Quaisquer itens soltos que vão na parte da frente do carro podem prejudicar a visão ou distrair o motorista, causando acidentes graves.
 
Analise a rota
Programe a viagem e saiba quais rodovias e estradas você pegará. Analise o tempo de viagem e estabeleça pontos de parada, assim todos podem se alimentar, usar o banheiro e esticar as pernas.

E lembre-se sempre: em caso de sinistro, acione o seu corretor de seguros e/ou sua seguradora pelos telefones de atendimento 24 horas.
 

Sobre a Allianz Seguros
No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

Grupo Allianz premia negócio social em Munique

 

  • Os empreendimentos sociais brasileiros Ver Bem e Carlotas disputaram a final do primeiro prêmio “Encouraging Future Generations”

 

  • Negócios da Alemanha, Malásia e Turquia também voltados à inclusão de crianças e jovens desfavorecidos foram outros que concorreram e participaram do Investment Ready Program 'Encouraging Future Generations'

 

  • Picha Project, que cria oportunidades de emprego a refugiados na Malásia por meio de entrega de comida e serviços de catering, foi o vencedor e teve o investimento de 40 mil euros

 

O prêmio “Encouraging Future Generations” foi disputado por negócios de impacto do Brasil, Alemanha, Malásia e Turquia, inscritos no Investment Ready Program 'Encouraging Future Generations'. Promovido pelo Grupo Allianz em parceria com o Impact Hub, o projeto aprimorou empreendimentos que estimulam a inclusão social de crianças e jovens adultos e possibilitou que os fundadores desenvolvessem um plano de crescimento estratégico para atrair investimentos. O programa também ofereceu um treinamento intenso de seis meses com o apoio de mentores de alto nível da Allianz e especialistas em empreendedorismo e solução de inclusão social.  

 

A final do prêmio foi realizada em Munique, na Alemanha, quando os empreendimentos sociais se apresentaram para um júri de cinco membros, composto por especialistas das organizações juvenis sem fins lucrativos, Rock4 Life, Phineo, e do Grupo Allianz e Impact Hub, como também a colaboradores da sede da seguradora. Entre os finalistas, estava o projeto brasileiro Ver Bem, que fortalece a operação da Renovatio, comercializando óculos a preços abaixo do valor de mercado. A cada par de óculos vendido da “linha de impacto”, que custa a partir de R$ 179,00, um é doado à ONG. “A experiência de participar do programa foi superinteressante. Estar junto com os mentores, a Allianz, o Boston Consulting Group (BCG) e o Impact Hub, fez a gente pensar em várias propostas e não só no dia a dia da operação. Participamos de várias discussões sobre como deixar a empresa mais preparada para injeção de capital e, durante o programa, conseguimos fechar, inclusive, uma rodada de investimentos para a Ver Bem. Isso é muito importante para o nosso desenvolvimento”, explica Ralf Toenjes, um dos fundadores do Ver Bem.

 

A também brasileira Carlotas, uma empresa de propósito social que, por meio de materiais lúdicos e artísticos, firma diversidade, respeito e empatia para o desenvolvimento de competências socioemocionais e gestão de conflitos, também chegou à final e pode absorver os ensinamentos passados pelo Investment Ready Program 'Encouraging Future Generations'. “Trabalhamos muito com os mentores nos últimos meses e isso nos ajudou a afinar alguns pontos, como comunicação e estratégia de vendas. O programa nos ensinou e incentivou a reestruturar a parte financeira do Carlotas e, sem dúvidas, também iremos trabalhar mais fortemente para o próximo ano no escalonamento dos projetos”, conta Fabiana Gutierrez, co-fundadora do Carlotas.

 

O empreendimento social Picha Project, que cria oportunidades de emprego a refugiados na Malásia por meio de entrega de comida e serviços de catering e, assim, aumenta a inclusão social ganhou o prêmio "Encouraging Future Generations", no valor de 40 mil euros. “Com o prêmio, poderemos criar uma plataforma online, para estabelecer vínculo direto entre nossas famílias e nossos clientes e desenvolver produtos não perecíveis. Estamos planejando expandir nossos negócios a outros países para que mais comunidades sejam impactadas por meio da entrega de alimentos”, explica Kim Lim, co-fundador de 28 anos do premiado Picha Project.

 

O prêmio é parte da estratégia de responsabilidade corporativa da seguradora para aumentar a inclusão social de crianças e jovens e será estendido a três novos países em 2019. “Cresci na África do Sul, entendo a importância da diversidade e a necessidade de apoiar os jovens no desenvolvimento de seus talentos. As empresas sociais podem ‘virar o jogo’ para a sociedade e as pessoas”, disse Jacqueline Hunt, membro do conselho da Allianz SE para Asset Management e US Life Insurance. "Tenho orgulho de colaborar com parceiros experientes e levar esses negócios sociais promissores ao próximo nível", complementou a executiva.

 

A Allianz está comprometida com os “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável” (ODS) da ONU e apoia crianças e jovens com o programa "Encouraging Future Generations". “Nosso objetivo é derrubar as barreiras enfrentadas por crianças e jovens. Incentivar as futuras gerações é um instrumento-chave para canalizar nossa contribuição para os ODS, especialmente em educação, desigualdade social, trabalho decente e crescimento econômico ", acrescentou Hunt.

 

Os negócios sociais interessados em participar do próximo programa, que acontece em dezembro de 2019, podem começar a se inscrever a partir de setembro de 2018.

 

Sobre a Allianz Seguros

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.

 

A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.

 

A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).
 

Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Executivos da Allianz Seguros abordam potencial do mercado nordestino e apresentam novidades de produtos no Conseg-NE

 

Eduardo Grillo e Alexandro Barbosa palestraram no congresso e, além de enfatizarem o quanto a região Nordeste é estratégica à seguradora, apresentaram aos corretores locais as reformulações ocorridas nos produtos de Automóvel, Residência e Vida

 

São Paulo, 1 de junho de 2018 – A Allianz Seguros participa do 3º Congresso de Corretores de Seguros do Nordeste (Conseg-NE), que, este ano, tem Maceió como sede. O evento acontece até hoje, 1, com o tema “Adaptando-se às mudanças – evoluir conservando os princípios”, abordado em palestras e painéis.

 

Na manhã desta sexta-feira, Eduardo Grillo, diretor executivo Comercial da Allianz Seguros, foi um dos conferencistas do painel “O que devemos esperar do mercado de seguros do Nordeste”. De acordo com levantamento apresentado por Grillo, a região acumulou R$ 8,6 bilhões em prêmios em 2017 e obteve aumento de 13,5%, sobre 2016. “O Nordeste foi a região do Brasil que mais se desenvolveu em seguros no ano passado. A nossa perspectiva é que o seu crescimento permaneça nesse patamar, de dois dígitos, sendo impulsionado pelas carteiras de Automóvel, Residência e Vida”, disse Grillo.   

 

À tarde, Alexandro Barbosa, diretor regional Norte e Nordeste, abordou as oportunidades de negócios, com foco em diversificação, e apresentou as novidades dos seguros de Automóvel, Residência e Vida da seguradora – os três produtos passaram por simplificação de processos e estão mais ágeis para cotação. “No novo Allianz Auto, uma única cotação gera 12 cálculos para que o segurado possa comparar custos e benefícios e verificar aquela que melhor se encaixa às suas necessidades e há também um novo conceito de perfil de risco”, contou Barbosa. Já o Residência passou a ter diferenciais como: cobertura para veículo na garagem em caso de incêndio; novos serviços de assistência 24 horas; e opção de seguro para residências com escritório. E entre as novidades do Vida estão: capital segurado máximo de 1 milhão com cotação na ponta; vigência da apólice de cinco anos; e preenchimento e análise do questionário de saúde totalmente online. 

 

A equipe Comercial das filiais nordestinas ainda está recebendo corretores de seguros no estande da companhia para estreitar relacionamento com esses profissionais, que formam o principal canal de vendas da Allianz Seguros.

 

Sobre a Allianz Seguros

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.

 

A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.

 

A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

Eduardo Grillo e Alexandro Barbosa palestraram no congresso e, além de enfatizarem o quanto a região Nordeste é estratégica à seguradora, apresentaram aos corretores locais as reformulações ocorridas nos produtos de Automóvel, Residência e Vida

 

São Paulo, 1 de junho de 2018 – A Allianz Seguros participa do 3º Congresso de Corretores de Seguros do Nordeste (Conseg-NE), que, este ano, tem Maceió como sede. O evento acontece até hoje, 1, com o tema “Adaptando-se às mudanças – evoluir conservando os princípios”, abordado em palestras e painéis.

 

Na manhã desta sexta-feira, Eduardo Grillo, diretor executivo Comercial da Allianz Seguros, foi um dos conferencistas do painel “O que devemos esperar do mercado de seguros do Nordeste”. De acordo com levantamento apresentado por Grillo, a região acumulou R$ 8,6 bilhões em prêmios em 2017 e obteve aumento de 13,5%, sobre 2016. “O Nordeste foi a região do Brasil que mais se desenvolveu em seguros no ano passado. A nossa perspectiva é que o seu crescimento permaneça nesse patamar, de dois dígitos, sendo impulsionado pelas carteiras de Automóvel, Residência e Vida”, disse Grillo.   

 

À tarde, Alexandro Barbosa, diretor regional Norte e Nordeste, abordou as oportunidades de negócios, com foco em diversificação, e apresentou as novidades dos seguros de Automóvel, Residência e Vida da seguradora – os três produtos passaram por simplificação de processos e estão mais ágeis para cotação. “No novo Allianz Auto, uma única cotação gera 12 cálculos para que o segurado possa comparar custos e benefícios e verificar aquela que melhor se encaixa às suas necessidades e há também um novo conceito de perfil de risco”, contou Barbosa. Já o Residência passou a ter diferenciais como: cobertura para veículo na garagem em caso de incêndio; novos serviços de assistência 24 horas; e opção de seguro para residências com escritório. E entre as novidades do Vida estão: capital segurado máximo de 1 milhão com cotação na ponta; vigência da apólice de cinco anos; e preenchimento e análise do questionário de saúde totalmente online. 

 

A equipe Comercial das filiais nordestinas ainda está recebendo corretores de seguros no estande da companhia para estreitar relacionamento com esses profissionais, que formam o principal canal de vendas da Allianz Seguros.

 

Sobre a Allianz Seguros

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.

 

A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.

 

A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

 

Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Allianz e Impact Hub anunciam finalistas de programa de aceleração de empreendedorismo social

 

Ver Bem Carlotas foram selecionados entre mais de 30 negócios brasileiros inscritos. Em junho, disputam aporte de 40 mil euros com startups da Alemanha, Malásia e Turquia.

 

 

 

 

 

Os negócios de impacto social, Ver Bem e Carlotas, são os finalistas brasileiros do Investment Ready Program 'Encouraging Future Generations', programa internacional de aceleração promovido pelo Grupo Allianz em parceria com o Impact Hub. Em junho, representantes das duas startups embarcam para Munique, onde disputarão a injeção de capital de 40 mil euros, cerca de 160 mil reais, com selecionados dos outros três hubs da iniciativa, Alemanha, Malásia e Turquia. 
 

Os dois empreendimentos foram selecionados por se destacarem na promoção de soluções escaláveis para inclusão social de crianças e jovens. Enquanto o Ver Bem atua em prol da saúde, o Carlotas está voltado à educação deste público.   
 
“A Ver Bem surgiu a partir de dados como: 680 milhões de pessoas no mundo precisam de óculos e não podem pagar; 42 milhões de cidadãos brasileiros necessitam usar óculos, mas ainda não tiveram esse diagnóstico; 22,9% dos alunos brasileiros saem dos colégios por problemas de visão – é o maior motivo de evasão escolar no País e a terceira maior taxa global”, conta Ralf Toenjes, um dos fundadores do empreendimento. 

A Ver Bem é um negócio social, cujo objetivo é fortalecer a operação da Renovatio, ONG, que leva saúde visual para diversas comunidades carentes de todo o Brasil. Sendo assim, a  Ver Bem comercializa óculos a preços acessíveis, com o valor abaixo do mercado. A cada par de óculos vendido da “linha de impacto”, que custa a partir de R$ 179,00, um é doado para a ONG.

A Carlotas nasceu de um insight da artista plástica Carla Douglass durante uma roda de conversa com crianças sobre artes. Carla expôs alguns de seus desenhos e seus traços particulares chamaram a atenção. Depois de inúmeras perguntas e respostas, a artista e os estudantes chegaram à conclusão de que não existe “um perfeito, mas, sim, vários perfeitos”. Carla e os alunos acabavam de desconstruir padrões e quebrar o silêncio de três meses de Eric, um garoto em vulnerabilidade social, sob os cuidados de um abrigo devido a conflitos familiares. Bastante impactada pelo resultado da atividade, Carla saiu da escola e procurou a amiga Fabiana. A partir daquele dia, elas começaram a estudar o porquê de Eric ter reagido tão prontamente ao estímulo da artista. “Após pesquisas e laboratórios, chegamos a uma abordagem única baseada em arte e ludicidade, hoje aplicada por meio de materiais, programas e oficinas em salas de aula e no universo corporativo”, conta Fabiana Gutierrez, sócia-fundadora do Carlotas.

A Carlotas, acima de tudo, é uma empresa de propósito social cujos pilares são diversidade, respeito e empatia para o desenvolvimento de competências socioemocionais e a gestão de conflitos. “Parte do faturamento conquistado com o emprego da metodologia em escolas e empresas privadas é revertido à aplicação gratuita de programas na rede pública de ensino. Hoje, atendemos 14 turmas mensais de cinco instituições e queremos ampliar esse impacto social. Precisamos, então, nos estruturar para captar mais investimentos”, conta Gutierrez.

Até chegarem à etapa europeia, o Ver Bem e o Carlotas estão passando por um processo estruturado de revisão e aprimoramento de seus modelos de negócio e preparação para crescimento, aqui no Brasil. Ele inclui mentorias com colaboradores da Allianz, como também consultorias com as equipes da Boston Consulting Group (BCG) e do Derraik & Menezes Advogados, escritório de direito empresarial. O objetivo é garantir que as startups estejam prontas para receber o investimento para alavancagem e escala.

“Acompanhar o desenvolvimento desses empreendimentos sociais é inspirador. Eles fazem os nossos colaboradores se aproximarem de realidades diversas e ficarem motivados a devolver à sociedade conhecimentos acumulados, ao serem mentores do programa. A Allianz Brasil é referência no encorajamento de gerações futuras, com a Associação Beneficente dos Funcionários do Grupo Allianz (ABA) há mais de 20 anos, e esse é um dos motivos que faz ela estar entre os hubs da iniciativa”, diz Mário Jorge, diretor de Relações Institucionais, Comunicação e Sustentabilidade da Allianz Seguros, durante encontro de trabalho com o time de mentores, experts e empreendedores ocorrido na sede da seguradora, em São Paulo.

O Investment Ready Program 'Encouraging Future Generations' vem auxiliando o Ver Bem, principalmente, em seus desafios de abertura de lojas físicas e Recursos Humanos, aqueles voltados à atração e retenção de talentos e criação de uma marca empregadora. “Temos que formar uma equipe com habilidades e competências comerciais para expandir o negócio, seja territorialmente ou por meio da diversificação dos canais de vendas. Esses colaboradores precisam estar imersos na cultura do terceiro setor e serem altamente estratégicos”, aponta Toenjes.
  
A demanda do Carlotas é outra. Logo na primeira mentoria, a Fabiana Gutierrez sinalizou ao Cido Rodrigues, superintendente financeiro da Allianz Seguros, que o empreendimento precisava, sobretudo, de aprimoramentos administrativo-financeiros. “Estou indicando à Fabiana alguns modelos financeiros, para que o Carlotas tenha planejamento de caixa e precificação mais eficientes. Isso significa poder enxergar à frente, o desenvolvimento do negócio”, explica Rodrigues.

”O Impact Hub é uma organização brasileira, globalmente conectada que apoia, cataliza e fomenta a jornada empreendedora em todo o mundo. O Programa incentiva as empresas que buscam soluções de impacto para os diversos desafios e o nosso papel é acelerar esses negócios com mentorias, capacitações, conexões e acesso a capital” Ruy Camargo, diretor de Projetos de Aceleração do Impact Hub São Paulo.

A próxima etapa contempla uma semana de capacitação aprofundada na Alemanha. Após essa fase, será conhecido o empreendimento dos quatro países com maior impulso social às próximas gerações. 


Sobre a Allianz Seguros

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

 

 

Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Grupo Allianz integra responsabilidade social e ecológica aos seus negócios
 
Relatório de Sustentabilidade de 2017 mostra resultados do Grupo Allianz em Responsabilidade Corporativa
 
• Seguradora focou em proteção do clima e inclusão social
 
Em seu 17° Relatório de Sustentabilidade, o Grupo Allianz está apresentando os resultados mais significativos e pontos chave em relação ao meio ambiente, social e performance de governança no ano fiscal de 2017. A companhia lidera o Índice Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI) como a melhor companhia do setor. O recorde acumulado em sustentabilidade é sinal de força para os investidores, atração de talentos que querem trabalhar em uma companhia engajada socialmente e atende a um crescente mercado de produtos financeiramente sustentáveis. 
 
Com investimento de mais de 5,6 bilhões de euros em energia renovável, Allianz continua sendo um dos mais importantes investidores desse setor. O portfólio inclui 81 usinas eólicas e sete parques solares na Europa e Estados Unidos. Esse investimento na certificação de prédios verdes cresceu para mais de 11 bilhões de euros. Em 2017, os investimentos da Allianz alcançou um marco: a companhia adotou como prática padrão incluir critérios ecológicos, sociais e de governança, acima das considerações financeiras, em todos as decisões de investimento da seguradora. Isso é denominado “ESGcoring” e é aplicado em todos ativos negociáveis. A companhia considera expandir a prática para os gestores de ativos da “Allianz Global Investors” e “PIMCO” – outras companhias do grupo. 
 
Na área de seguros a companhia também está progredindo. Foram investidos 96,6 milhões de dólares na operadora de microsseguros BIMA, pois a companhia acredita ser estratégico prover seguros com preços acessíveis para os consumidores com menor poder aquisitivo. Adicionalmente, em 2017 a Allianz ofereceu mais de 165 produtos com valores ecológicos e sociais, que geraram mais de 1,2 bilhão de euros em receita. 
 
O objetivo das atividades sustentáveis da Allianz é construir uma sociedade estável e com baixa emissão de carbono. Isso contribui para o “Sustainable Development Goals (SDGs)”, índice das Nações Unidas que foi aceito por governos internacionais e sociedade civil. “A mudança climática e a instabilidade econômica estão entre os maiores desafios das próximas décadas”, afirma Oliver Bäte, CEO da Allianz SE. “Nós temos claramente definido como nossa ambição: no papel de especialista em risco e investidor em longo prazo, nós apoiaremos a transição para a economia de baixa emissão de carbono e nossos projetos sociais fortalecerão jovens menos favorecidos ao redor do mundo.”
 
O grupo investiu mais de 150 milhões de euros para treinar e desenvolver seus empregados em 2017. O apoio de mulheres em posição de liderança se reflete na proporção de mais de 37% de gestoras. A satisfação dos empregados com a cultura corporativa cresceu para 72 de 100 pontos, de acordo com o Índice de Inclusão de Meritocracia. Funcionários também votaram o ambiente de trabalho: fatores médicos melhoraram do ano anterior para 66 pontos, de acordo com Índice “Work Well”.
 
Com atividades cidadãs, a Allianz investiu 20 milhões de euros para ajudar inúmeros projetos. Por exemplo, a segunda edição da Allianz World Run arrecadou 500 mil euros para o “SOS Children Villages”. A companhia expandiu o programa “Encouraging Future Generations”, que inclui dar suporte a startups que desejam salvar crianças menos favorecidas com ideais criativas de negócio. No total, os empregados ao redor do mundo contribuíram com 80 mil horas de trabalho voluntário. 
 
Proteção ao meio ambiente também cresceu nas operações da Allianz. A emissão de CO2 por empregado diminuiu 17% desde 2010 e a energia consumida nos prédios diminuiu 29%. A companhia já origina 40% da sua energia mundialmente de fontes renováveis. As atividades de sustentabilidade da seguradora também persuadiu seus funcionários: 78% deles reconhecem que a empresa é ativa na proteção do meio ambiente e engajada socialmente. 
 
Sobre a Allianz Seguros
No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).
 

Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Distrações perigosas

 

Ao menos um décimo de todos os acidentes com fatalidades são causados por motoristas distraídos

 

O álcool tem sido considerado uma das mais perigosas causas de falta de aptidão dos motoristas, mas as distrações causadas pela tecnologia, incluindo celulares e GPS, provam que agora também representam um grande risco.  Cerca de 74% dos motoristas admitem distrair-se enquanto dirigem. 

Um novo estudo do Centro de Tecnologia Allianz (AZT) mostra que o risco de um acidente cresce drasticamente quando os motoristas dividem a atenção entre o trânsito e a tecnologia. Os destaques do estudo fazem uma correlação entre altos índices de acidentes e o uso de dispositivos de informação, comunicação e entretenimento disponíveis nos veículos.  

Por exemplo, 60% dos motoristas que tiveram um acidente nos últimos três anos afirmaram que estavam usando o telefone celular enquanto dirigiam. Apenas 37% dos motoristas que afirmaram fazer o mesmo não se envolveram em acidentes.  

“Isso não é nenhuma surpresa”, diz Jochen Haug, diretor de Sinistros da Allianz Alemanha. “Quanto mais itens de tecnologia no veículo e mais complexa a operação, mais distraído estará o motorista em relação ao trânsito”, conta. 

Tão nocivo quanto o álcool
De acordo com os especialistas, um décimo dos acidentes de trânsito com fatalidade é causado por motoristas distraídos. Em 2016, mais de 3.200 pessoas morreram nas estradas da Alemanha – 256 deles porque uma das vítimas envolvidas estava bêbada. Significativamente mais pessoas, por volta de 350, morreram devido distrações ao volante. 

Até os anos 70, era aceitável um motorista beber muitas taças de vinho e ainda sim dirigir, afirma Haug. Mais de 20 mil pessoas morreram nas rodovias em 1970 e o governo respondeu introduzindo limites de velocidade nas estradas do País e estabelecendo o nível máximo de álcool no sangue em 0,8 em 1971. “O comportamento em relação à bebida alcoólica mudou. Não é mais socialmente aceitável beber e dirigir. Nós precisamos adotar a mesma atitude em relação ao uso do celular no volante,” diz Haug. “Nosso estudo é claro, o motorista que usa o celular enquanto dirige coloca outras vidas em risco”.

De acordo com a pesquisa, a todo momento o motorista comete alguma infração em relação ao celular enquanto dirige. Três quartos dos entrevistados admitiram distrair-se regulamente com as tecnologias disponíveis no veículo, enquanto 39% afirmaram que opera manualmente o sistema de navegação ao mesmo tempo em que dirige. 

Um em quatro motoristas afirmaram que leem mensagens de texto enquanto dirigem e 15% afirmaram que as respondem. Isso é mais comum em motoristas acima de 24 anos: mais de 27% lê mensagens e 23% as respondem enquanto conduzem o veículo. 

Os resultados convergem com pesquisas internacionais. Um estudo de 2015, que entrevistou 1.211 motoristas nos Estados Unidos, apontou que quase 60% dos entrevistados leem mensagens no celular com o veículo em movimento. Um mês depois foi encontrada uma forte correlação entre os resultados e os índices de colisões. 

Além disso, as colisões com veículo motorizado são responsáveis por aproximadamente um quarto de todas as mortes de adolescentes e jovens adultos (entre 15 e 24 anos) nos Estados Unidos. Mais de um terço (36%) de todos os motoristas distraídos envolvidos em acidentes fatais tinham entre 15 e 29 anos, de acordo com as estatísticas da U.S. National Highway Traffic Safety Administration de 2015.

 

Ação necessária


O AZT defende há muito tempo que a distração seja incluída como uma causa oficial nas estatísticas de acidentes e regulamentações de trânsito. O governo da Alemanha recentemente estendeu a definição de celulares para incluir tablets e dispositivos similares. 

A Allianz também defende medidas adicionais, como desabilitar a navegação ou acesso à internet nas telas disponíveis no carro enquanto o veículo está em movimento. Determinados sistemas avançados de assistência, como assistentes de frenagem de emergência, podem ajudar evitando ou reduzindo o impacto dos acidentes causados por distrações.

 

 

Sobre a Allianz Seguros

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

 

Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Allianz conquista troféus no Prêmio Segurador Brasil 
 

Na noite de ontem, 5, a Allianz Seguros foi reconhecida no 15º Prêmio Segurador Brasil, promovido pela editora Brasil Notícias. Anualmente, a premiação contempla empresas, entidades e profissionais do mercado de seguros brasileiro.  
 
Executivos da companhia estiveram no evento para receber os quatro troféus da seguradora. Três deles são da categoria “Melhor Desempenho, conglomerados acima de R$ 2,5 bilhões” nas carteiras de “Acidentes Pessoais”, “Aeronáuticos” e “Responsabilidade Civil – E&O”. Para esse quesito, foram adotados quatro indicadores: crescimento da participação de mercado, aumento das vendas, margem bruta e gestão de risco. 
 
O quarto prêmio, também relacionado ao ramo “Aeronáuticos”, foi em “Maior Crescimento em Vendas”.  A Allianz levou esse troféu por ter mais do que dobrado os seus prêmios na comparação janeiro a novembro de 2016 contra 2017, período levado em consideração para premiação.
 
As análises do Prêmio Segurador Brasil foram realizadas pela equipe da Silcon Estudos Econômicos. Para elas, foram considerados os números publicados na Superintendência de Seguros Privados (Susep).  
     
A cerimônia de entrega da premiação aconteceu no salão nobre do Edifício Itália, localizado no centro de São Paulo, e contou a presença de cerca de 400 pessoas. 

Sobre a Allianz Seguros
No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.
 
A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.
 
A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

 

Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

Allianz na Hora do Planeta

 

São Paulo, 23 de março de 2018 – Para firmar o compromisso do Grupo Allianz em reduzir os impactos das mudanças climáticas no planeta por meio de práticas sustentáveis, as luzes das sedes da Allianz Seguros e de suas coirmãs no Brasil – Allianz Global Corporate & Specialty (AGCS), Euler Hermes e Allianz Worldwide Partners – serão apagadas durante a Hora do Planeta. O Allianz Parque, arena multiuso batizada pela seguradora, também terá seu luminoso desligado durante os 60 minutos do movimento.

Com isso, além de demonstrar a sua preocupação com o planeta, a seguradora objetiva engajar seus colaboradores, parceiros comerciais, os corretores de seguros, e clientes à Hora do Planeta. A participação na campanha está alinhada a uma das estratégias para a mudança climática do Grupo Allianz, que introduz soluções cada vez mais sustentáveis ​​para os clientes em todo o mundo. Isso ajuda nossos clientes a se prepararem para os efeitos negativos das mudanças climáticas e mitigar os riscos, protegendo o meio ambiente.

A  Hora do Planeta, liderada pelo WWF, acontecerá neste sábado, 24, das 20h30 às 21h30, e contará com a participação de mais de 7 mil cidades de cerca de 180 países. O evento é tido como o maior chamado mundial a indivíduos, empresas e governos para combater o aquecimento global. E a partir desde ano até 2020, a iniciativa focará na relação entre as mudanças climáticas e os seus impactos na biodiversidade.  

 

Sobre a Allianz Seguros

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.

A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.

A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).

 

Informações à imprensa
 

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

 

Parceria entre Allianz Seguros e Instituto Ayrton Senna completa três anos com milhares de crianças e jovens beneficiados

 

O seguro Allianz Auto Instituto Ayrton Senna, que tem parte do valor de suas apólices emitidas revertida à organização, surgiu em 2015 e até 2020 deve contribuir com a educação de cerca de 75 mil alunos da rede pública de todas as regiões do Brasil

 

São Paulo, 19 de março de 2018 –  O Allianz Auto Instituto Ayrton Senna, o primeiro e único seguro de automóvel com benefício social do Brasil, completa, neste mês de março, três anos no mercado. Durante esse período, os recursos oriundos do produto contribuíram com a educação de mais de 45 mil crianças e jovens que frequentam o Ensino Fundamental e Médio de escolas públicas localizadas em mais de 660 cidades brasileiras, espalhadas por 18 estados. A mecânica da parceria é simples: a cada seguro automotivo contratado ou renovado, parte do valor é revertida ao Instituto Ayrton Senna.

 “O Allianz Auto Instituto Ayrton Senna reflete a convicção da Allianz sobre a importância do investimento em educação. E os nossos segurados, ao adquirirem esse produto, partilham desta certeza, de que promover a formação de educadores e o conhecimento a crianças e jovens desenvolve potenciais e habilidades e reduz a desigualdade social”, afirma Karine Correa Paes de Barros, superintendente de Market Management da Allianz Seguros.

A parceria inédita de Marketing Relacionado à Causa entre a Allianz Seguros e o Instituto Ayrton Senna começou em março de 2015, com a meta de beneficiar 15 mil estudantes a cada ano. E ela seguirá até pelo menos 2020, com a expectativa de colaborar com o ensino de 75 mil alunos de 6 a 17 anos.

“Somente a educação é capaz de transformar o ser humano e um país, porque ela dá uma ‘vida’ de oportunidades. E para mudar a realidade do Brasil é preciso engajamento do governo, empresas, terceiro setor e sociedade civil. O Allianz Auto Instituto Ayrton Senna vai justamente nesse sentido, pois envolve a Allianz Seguros, os corretores, o Instituto Ayrton Senna e os segurados, gerando fundos para que o Instituto invista na educação de todas as regiões do Brasil, sempre em parceria com as redes pública de ensino”, explica Thiago Fernandes, diretor de Negócios do Instituto Ayrton Senna.

 

Sobre a Allianz Seguros

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.

A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.

A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).


Sobre o Instituto Ayrton Senna

Há mais de 20 anos, o Instituto Ayrton Senna contribui para ampliar as oportunidades de crianças e jovens por meio da educação. Nossa missão é desenvolver o ser humano por inteiro, preparando para a vida no século 21 em todas as suas dimensões. Impulsionados pela vontade do tricampeão de Fórmula 1 Ayrton Senna de construir um Brasil melhor, atuamos em parceria com gestores públicos, educadores, pesquisadores e outras organizações para construir políticas e práticas educacionais baseadas em evidências. Estamos em permanente processo de inovação, continuamente investigando novos conhecimentos para responder aos desafios de um mundo em constante transformação.

Partindo dos principais desafios da educação identificados por gestores e educadores com quem trabalhamos no dia a dia, produzimos, sistematizamos e validamos conhecimentos críticos para o avanço da qualidade da educação, em um trabalho conjunto com as redes públicas de ensino. Todo o conhecimento produzido é compartilhado com mais atores por meio de iniciativas de formação, difusão, cooperação técnica e transferência de tecnologia.

Nossas ações são financiadas por doações, recursos de licenciamento e por parcerias com a iniciativa privada. Considerando iniciativas voltadas para o Ensino Fundamental e o Ensino Médio, estamos em 18 Estados e mais de 660 municípios, apoiamos a formação de mais de 50 mil profissionais por ano e beneficiamos a educação de mais de 1,5 milhão de alunos por ano. http://www.institutoayrtonsenna.org.br.

 

Informações à imprensa
 

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

imprensa@allianz.com.br

 

Grupo Allianz entrega resultados expressivos em 2017 e dá 5% de aumento nos dividendos

 

  • Receitas totais de 2017 cresceram 3% atingindo 126,1 bilhões de euros

  • Lucro operacional de 2017 sobe 0,4% e vai a 11,1 bilhões de euros

  • Lucro líquido atribuível aos acionistas em 2017 baixou 2,3% e ficou em 6,8 bilhões de euros

  • Venda do OLB, mudanças fiscais nos EUA, câmbio e catástrofes naturais afetaram pontualmente resultados do 4º trimestre

  • Entradas líquidas de fundos de terceiros registram recorde de 150 bilhões de euros em 2017, elevando os recursos de terceiros sob gestão a 1,448 trilhão de euros

  • Coeficiente de capitalização Solvency II de 229% no final de 2017, frente a 218% no final de 2016

  • Conselho de Administração propõe aumento de 5,3% nos dividendos, passando a 8 euros por ação, comparado a 7,60 euros por ação em 2016

  • Allianz no rumo certo para entregar metas da sua Agenda de Renovação trienal

  • Receitas totais do 4º trimestre de 2017 sobem 5,6% e vão a 31,7 bilhões de euros, lucro operacional cai 8% e fica em 2,8 bilhões de euros

2017 tem forte crescimento do negócio e alto coeficiente de solvência

 

O Grupo Allianz registrou resultados expressivos em 2017 devido em grande parte ao melhor desempenho em Gestão de Ativos e no ramo Vida e Saúde. A receita total do Grupo subiu 3% e atingiu 126,1 bilhões de euros (122,4 bi em 2016) para o ano todo, impulsionada por melhorias em todos os segmentos de negócio. O lucro operacional subiu mais 0,4 % chegando em 11,1 bilhões de euros em 2017 (11,1 bi em 2016), situada na faixa visada pelo Grupo, entre 10,3 a 11,3 bilhões de euros. O segmento Property & Casualty viu o lucro operacional cair 7,5 % devido, principalmente, às indenizações maiores por catástrofes naturais ocorridas em 2017, o ano mais caro de todos os tempos para o setor de Seguros.  Os sinistros por conta dos incêndios florestais na Califórnia, dos furacões Harvey, Irma e Maria, além das tempestades na Europa e outras catástrofes naturais, se elevaram a 1,1 bilhão de euros – contra 0,7 bi em 2016. O rendimento líquido atribuível aos acionistas encolheu 2,3%, ficando em 6,8 bilhões (contra 6,96) em 2017, por influência do impacto pontual das mudanças fiscais nos EUA e dos efeitos derivados da venda do Oldenburgische Landesbank (OLB).

O Lucro Básico por Ação (EPS) foi de 15,24 (contra 15,31) euros para o ano. O coeficiente de capitalização, sob as regras Solvency II, subiu para 229% no final de 2017, contra 218% no final de 2016. O Conselho de Administração proporá aumentar o dividendo em 5,3% passando a 8,00 euros por ação em 2017, contra 7,60 euros por ação em 2016.

Mais uma vez a Allianz aprimorou as medidas referentes à fidelização dos clientes e a avaliação de suas experiências em 2017, com o compartilhamento de empresas do Grupo cujo índice Net Promoter Score (NPS) superou os mercados locais, subindo 5 pontos percentuais globalmente e indo para 60%. O Índice de Meritocracia Inclusiva (IMIX), que mede liderança, desempenho e cultura corporativa, subiu 2 pontos percentuais em 2017 e bateu nos 72%, que é o nível trienal visado para 2018. Tais medidas refletem os esforços da Allianz em atender clientes e envolver funcionários.
“O Grupo cumpriu suas metas de desempenho, manteve um nível extraordinário da força de capital, e devolveu três bilhões de euros aos acionistas por meio de buy-back de ações em 2017. Esses êxitos se devem, em grande medida, aos esforços notáveis dos funcionários da Allianz buscando atingir os objetivos que nós estabelecemos na Agenda de Renovação”, disse Oliver Bäte, CEO da Allianz SE.

“A Allianz também fez avanços estratégicos importantes, incluindo uma joint-venture de seguros no Reino Unido com a LV=, e a contínua expansão em mercados de rápido crescimento como a África. Nós também ampliamos nossa participação na Euler Hermes para mais de 90%, fortalecendo nosso envolvimento em seguro P&C”, comentou Bäte.

 

O quarto trimestre foi afetado por fatores pontuais, ainda que as medidas de desempenho subjacentes tenham continuado a se intensificar. A receita total aumentou 5,6 % no ano passando para 31,7 bilhões de euros (contra 30 bi no 4º trimestre de 2016), impulsionada sobretudo pelas melhorias no segmento de Vida e Saúde.  O lucro operacional no trimestre caiu para 2,8 bi de euros (3%), devido em parte a um aumento de 0,2 bilhão de euros nos sinistros decorrentes de catástrofes naturais, um aumento nos demais sinistros relacionados ao clima e aos resultados menores nos investimentos.  O rendimento líquido atribuível aos acionistas recuou para 1,4 bilhão de euros (contra 1,8), devido ao impacto pontual das mudanças tributárias nos EUA e à venda do banco OLB, que geraram impacto negativo de 210 milhões de euros. As medidas de desempenho fundamental se intensificaram no trimestre, com a Margem de Novos Negócios subindo para 3,6% (2,9) comparado ao ano anterior. No segmento P&C, o índice de perdas ‘por atrito’ (perdas secundárias), que exclui a volatilidade causada por catástrofes naturais e resultados de run-offs, apresentou melhora. O segmento de Gestão de Ativos teve no 4º trimestre o seu melhor resultado operacional em quatro anos.

“Furacões, tempestades e incêndios florestais afetaram duramente o setor de seguros, fazendo de 2017 o ano mais oneroso que o setor já teve em termos de sinistros por catástrofes naturais”, declarou Oliver Bäte. “Nós agimos rapidamente para ajudar nossos clientes a se levantarem novamente.  Essa é a parte mais gratificante da nossa atividade.  Só com catástrofes naturais, nós pagamos cerca de 1,1 bilhão de euros em benefícios aos clientes”.

O diretor Financeiro da Allianz SE, Giulio Terzariol, declarou: “O Grupo entrou em 2018 em velocidade de cruzeiro, colocando nossas metas de desempenho trienais ao alcance. Estamos confiantes que a Allianz está bem posicionada para entregar resultados financeiros consistentes novamente este ano. O Grupo pretende atingir um lucro operacional de 11,1 bilhões de euros em 2018, mais ou menos 500 milhões de euros, salvo imprevistos.”

P&C: Catástrofes naturais ofuscam avanços

 

  • Prêmios brutos subscritos subiram para 52,3 bilhões de euros (ante 51,5) em 2017. Com os ajustes por correção cambial e efeitos de consolidação, o crescimento interno totalizou 2,3 %, sendo que os efeitos de preço e volume contribuíram com 1,2% e 1,1%, respectivamente.

  • Lucro operacional recuou 7,5% e foi para 5,1 bilhões de euros em 2017, comparado ao ano anterior, principalmente devido às perdas elevadas decorrentes de catástrofes naturais.

  • Como resultado, o índice combinado subiu 0,9 ponto percentual e chegou a 95,2 %.


“Catástrofes naturais, tempestades e perdas relacionadas ao clima tiveram papel decisivo em 2017. Porém, as medidas de desempenho subjacentes se mantiveram firmes e nós continuamos comprometidos com nosso objetivo de melhorar o índice combinado levando-o a sustentáveis 94% no final de 2018”, afirmou o diretor Financeiro da Allianz SE, Giulio Terzariol.

 

No quarto trimestre de 2017, os prêmios brutos subscritos se elevaram ligeiramente passando a 11,3 bilhões de euros (ante 11,2).  Com ajustes por correção cambial e efeitos de consolidação, o crescimento interno foi de 5,1%, sendo que os efeitos de preço e volume contribuíram com 1,8% e 3,3% respectivamente.

 

O lucro operacional declinou 9,6% e ficou em 1,3 bilhão de euros, comparado ao mesmo período do ano anterior, devido ao resultado menor nos investimentos e a sinistros maiores por catástrofes naturais. Com a correção para sinistros por catástrofes naturais, o índice combinado aumentou em 1,1 ponto percentual no trimestre, passando para 91,7 %.

 

Vida e Saúde:  Valor de Novos Negócios cresceu de forma expressiva
 

  • Prêmios totais em 2017 cresceram 4,1%, passando a 67,3 bilhões de euros (64,6) como resultado de maiores vendas de produtos custo-eficientes na Alemanha e ao crescimento nos prêmios relacionados a unidades na Itália e em Taiwan.  Com os ajustes por correção cambial e efeitos de consolidação, os prêmios totais cresceram 7%.
  • Lucro operacional subiu 3,1% e foi para 4,4 bilhões de euros (4,3) em 2017. O Valor de Novos Negócios (VNB) cresceu 29,9% chegando a 1,9 bilhão de euros em 2017.
  • A Margem de Novos Negócios (NBM) se intensificou para 3,4% (2,7) em 2017.

 

“O crescimento no negócio de Vida e Saúde acelerou em 2017 juntamente com a mudança para produtos mais eficientes em termos de capital. Essa abordagem está recompensando clientes e acionistas igualmente”, disse Giulio Terzariol, diretor Financeiro da Allianz SE.

No quarto trimestre de 2017, o lucro operacional diminuiu 13,5% e ficou em 1,1 bilhão  de euros. Os prêmios totais subiram 8,3% atingindo 18,6 bilhões de euros. A margem de novos negócios cresceu para 3,6 (2,9)%.  Como resultado, o valor de novos negócios aumentou 30,9% alcançando 550 milhões de euros comparado ao quarto trimestre de 2016.

 

Gestão de Ativos: recorde em entradas líquidas de fundos de terceiros
 

  • Comparado ao final do ano de 2016, os recursos de terceiros sob gestão (AuM) tiveram crescimento de 87 bilhões de euros, totalizando 1,448 trilhão de euros. Com o maior ingresso anual de todos os tempos, foram registradas entradas líquidas de fundos de terceiros da ordem de 150 bilhões de euros e os efeitos de mercado positivos superaram o impacto negativo do câmbio.

  • Em 2017, o lucro operacional subiu 10,6% indo para 2,4 bilhões de euros (2,2), puxado principalmente pelo aumento médio nos recursos de terceiros sob gestão na PIMCO e na Allianz Global Investors, elevando os honorários líquidos e o rendimento por comissão.
  • A relação Custo-Rendimento (CIR) aumentou em 1,5 ponto percentual e chegou a 61,9% em 2017, pois o crescimento da receita superou o aumento das despesas.


“O ano de 2017 foi um marco histórico para o segmento de Gestão de Ativos. As entradas líquidas de fundos de terceiros registraram o recorde de 150 bilhões de euros no ano, pois todos os clientes foram atraídos para fundos de alta performance” disse Jacqueline Hunt, membro do Conselho de Administração da Allianz SE e responsável por Gestão de Ativos e pela operação de seguro de Vida nos EUA.
 

No quarto trimestre de 2017, o lucro operacional cresceu 8,4% e atingiu 697 milhões de euros, devido principalmente aos rendimentos maiores dos ativos sob gestão. As entradas líquidas de fundos de terceiros de 45 bilhões de euros e os efeitos de mercado positivos superaram os efeitos cambiais negativos, resultando em 1,96 trilhão de euros em ativos totais sob gestão – um aumento de 89 bilhões de euros comparado ao final do exercício 2016. A relação custo-rendimento aumentou 1,0 ponto percentual e foi para 60,2 %.

 

Nota Técnica: Os dados referentes ao ano anterior foram corrigidos em virtude de uma definição atualizada de lucro operacional e de uma mudança na política contábil, conforme já descrito no primeiro trimestre de 2017



Para mais informações, entre em contato com:

Thomas Atkins             +49 89 3800 2960

Daniela Markovic          +49 89 3800 2063

Assessoria de Imprensa Allianz Brasil

Virta Comunicação Corporativa

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

55 11 3894-2434

Larissa Marçal – larissa.marcal@virta.inf.br

55 11 3894-2427

imprensa@allianz.com.br

 

Sobre o Grupo Allianz

O Grupo Allianz é uma das principais seguradoras e gestora de ativos do mundo com mais de 86 milhões de clientes corporativos e de varejo.  Os clientes da Allianz se beneficiam de uma ampla gama de serviços de seguros pessoais e corporativos, que vão de seguros de propriedade, vida e saúde aos serviços de assistência ao seguro de crédito e de negócios globais. A Allianz é um dos maiores investidores do mundo, gerindo mais de 650 bilhões em nome de seus clientes, enquanto nossos gestores de ativos Allianz Global Investors e PIMCO gerem mais 1,4 trilhão de ativos de terceiros. Graças à nossa integração sistemática de critérios ecológicos e sociais em nossos processos de negócios e decisões de investimento, mantemos a posição de liderança para seguradoras no Índice Dow Jones de Sustentabilidade. Em 2017, com mais de 140.000 colaboradores em mais de 70 países, o Grupo Allianz obteve uma receita total de 126 bilhões e um lucro operacional de 11 bilhões.

 

These assessments are, as always, subject to the disclaimer provided below.

 

Cautionary note regarding forward-looking statements

The statements contained herein may include prospects, statements of future expectations and other forward-looking statements that are based on management's current views and assumptions and involve known and unknown risks and uncertainties. Actual results, performance or events may differ materially from those expressed or implied in such forward-looking statements.

 

Such deviations may arise devido a, without limitation, (i) changes of the general economic conditions and competitive situation, particularly in the Grupo Allianz's core business and core markets, (ii) performance of financial markets (particularly market volatility, liquidity and credit events), (iii) frequency and severity of insured loss events, including from catástrofes naturais, and the development of loss expenses, (iv) mortality and morbidity levels and trends, (v) persistency levels, (vi) particularly in the banking business, the extent of credit defaults, (vii) interest rate levels, (viii) currency exchange rates including the EUR/USDexchange rate, (ix) changes in laws and regulations, including tax regulations, (x) the impact of acquisitions, including related integration issues, and reorganization measures, and (xi) general competitive factors, in each case on a local, regional, national and/or global basis. Many of these factors may be more likely to occur, or more pronounced, as a result of terrorist activities and their consequences.

 

No duty to update

The company assumes no obligation to update any information or forward-looking statement contained herein, save for any information required to be disclosed by law.

 

Other

The quarterly figures regarding the net assets, financial position and results of operations have been prepared in conformity with International Financial Reporting Standards.

Information is based on preliminary figures. Final results for fiscal year 2017 will be released on March 9, 2018 (publication of the Annual Report).

 

This is a translation of the German Quarterly and Full Year Earnings Release of the Grupo Allianz. In case of any divergences, the German original is binding.