A sua matéria com a fonte certa.

 

A Allianz está à disposição para informações e entrevistas. Entre em contato conosco pelos canais abaixo:


Virta Comunicação

Tel: 55 11 3083-1242
Lucila Lopes - lucila.lopes@virta.inf.br
Bianca Bordignon - bianca@virta.inf.br

Ou nos envie uma mensagem pelo e-mail imprensa@allianz.com.br

Veja abaixo os últimos releases:


Relatório Interbrand “Best Global Brands”: Allianz é a seguradora número 1 do ranking  

São Paulo, 17 de outubro – A Allianz se tornou a seguradora número 1 no ranking global de marcas do relatório Interbrand 2019, divulgado hoje, 17. O valor da marca Allianz cresceu 12%, de US$ 10,8 bilhões, em 2018, para US$ 12,1 bilhões. 

“Temos orgulho de nos tornar a marca de seguros número 1 – um sinal de nossa estratégia, chamada de ´Simplicity Wins´ e transformação em ação. Nosso crescimento reflete um valor de marca global mais relevante, consistente e com serviços e produtos mais intuitivos. Assim, reequilibramos os negócios em áreas de alta demanda e rentabilidade”, diz Serge Raffard, head de Estratégia, Marketing e Distribuição do Grupo Allianz.  
 
“Este é apenas o começo. Continuamos nos esforçando para superar o desempenho não apenas do setor, mas também das principais marcas globais, permitindo que nossos clientes sigam em frente. Este é um elemento chave para criar atração para nossos produtos e serviços. Ao mesmo tempo, precisamos da pontuação mais alta no Net Promoter Score para garantir que nossos clientes obtenham a melhor experiência”, completa. 
 
Para Christian Deuringer, head de Gerenciamento Global de Marcas, há mais por vir. “É muito satisfatório alcançar este marco, desde entrar na tabela dos 100 melhores, em 2007, até nos tornarmos a marca de seguros número 1 em todo o mundo, agora em 2019, e a 43ª no ranking geral de empresas. Construindo nossa marca, aproveitando insights exclusivos e trabalhando em conjunto com nossos clientes para proporcionar uma experiência ainda melhor, enquanto investimos em parcerias sustentáveis e inovadoras, como a Fórmula E, para aumentar nossa presença e relevância na vida dos clientes”. 

Sobre a Allianz Seguros
No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de mais de 50 filiais. 

A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes globais em seguros – o maior da Europa – e um dos maiores investidores do mundo, gerenciando cerca de 673 bilhões de euros em nome de seus segurados e administrando mais de 1,4 trilhão de euros de ativos de terceiros por meio da Allianz Global Investors e PIMCO. Em 2018, o Grupo Allianz alcançou receita total de 131 bilhões de euros e lucro operacional de 11,5 bilhões de euros. 

O Grupo Allianz está presente em mais de 80 países e seus clientes corporativos e de varejo passam de 88 milhões. Além de oferecer seguros de propriedade, vida, saúde, crédito, corporativos globais, e serviços de assistência, a Allianz também se destaca em estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia. Graças à integração sistemática de critérios ecológicos e sociais em processos de negócios e decisões de investimento, o Grupo Allianz é a seguradora líder no Índice Dow Jones de Sustentabilidade.


Para mais informações:
Susanne Seemann                            
Tel. +49 89 3800 18170
susanne.seemann@allianz.com

Com recorde de premiados, Allianz Seguros leva mais de 600 corretores para show de Bon Jovi em São Paulo

Ação é uma das recompensas da AlliadoZ Campanha 2019, que oferece experiências exclusivas aos corredores com melhor pontuação em vendas 
 

São Paulo, 30 de setembro de 2019 – Entre as 45 mil pessoas que lotaram o Allianz Parque na noite desta quarta-feira, 25, para o show de Bon Jovi, cerca de 650 tinham ali um motivo a mais para a euforia: eles foram os premiados pela Alliadoz Campanha 2019, campanha de vendas realizada pela Allianz Seguros para seus corretores. O reconhecimento para os que acumulam mais pontos vai de viagens internacionais a experiências exclusivas com a seguradora, no Allianz Parque. 
 
O astro do rock sessentão, Bon Jovi, fez bonito no palco. Em mais de duas horas de shows e 21 músicas, o vocalista contou com o apoio da banda muito bem entrosada e da plateia cantante para segurar a voz. Bon Jovi ainda se apresentou no Rock in Rio neste fim de semana, e há alguns anos vem diminuindo o tom para entregar shows afinados e sempre animados. 
 
Como bem contextualizou o diretor comercial da Allianz Seguros, Eduardo Grillo, Bon Jovi é um fenômeno que se reinventou. “Cantando desde os 9 anos, ele emplacou sucesso atrás de sucesso e foi se modernizando com o passar dos anos, enfrentou desafios e está aqui, com uma legião de fãs e lotando essa arena”. A comparação com o mercado segurador e a vivência da Allianz no Brasil não poderia ser mais precisa. 
 
Os próprios corretores participantes relembraram as evoluções e mudanças dos últimos anos. “No meu negócio, o mix de produtos é muito importante e sei que posso contar com as opções da Allianz. Para essa campanha, por exemplo, o que mais me ajudou a pontuar foi combinar os produtos de pessoas, patrimoniais e agronegócios, que, na minha região, tem alta demanda”, comentou Jackson André de Lara, da corretora Diferencial, de Castro, no Paraná.  
 
“Acompanhei todo o processo de evolução e modernização dos produtos. A diversidade e os pacotes foram determinantes para o sucesso nas minhas vendas. Estou muito feliz de poder participar dessa ação, mas vou lutar ainda para conquistar a viagem do Peru, no ano que vem”, disse Jocimar de Carvalho, da Aratan Corretora de Seguros, do ABC Paulista. 
 
Se ganhar uma competição já é bom, imagina para quem é fã. Vanessa Alves, diretora comercial da corretora San Martin, de São José do Rio Preto, brigou por essa conquista. “A competição é natural em nosso trabalho de vendas, é uma forma de nos desafiar e nos propor novas metas. Já participei de outras campanhas, fui contemplada, mas quando eu soube do show do Bon Jovi eu me empenhei muito, não podia perder essa oportunidade, eu adoro”, contou. 

 

O show também teve gosto de comemoração para o corretor Marcos Schulz, do Mato Grosso do Sul. “Hoje eu completo 9 anos de casado e minha esposa gosta bastante de Bon Jovi. Além do show, que está muito legal, essa experiência é incrível, estou feliz de estar aqui e de nos aproximarmos ainda mais dos contatos regionais”, disse o proprietário da corretora Marcosul.  
  
“O dia de hoje é a celebração e reconhecimento do trabalho realizado. A Alliadoz Campanha propõe ao corretor que ele se sustente melhor. Na nossa campanha, os corretores não são concorrentes, o desafio é individual diante da meta de cada um. Isso significa que todos têm chance e, ao fazer o seu papel, ao final do semestre, comemoramos juntos, valorizando as pessoas que estão envolvidas nesses negócios”, reforçou Eduardo Grillo.  
 
O Lounge Alliadoz Always, referência a uma das mais famosas canções de Bon Jovi foi montado na Casa das Caldeiras, em frente ao estádio. O espaço deste ano era maior, para comportar o recorde de corretores que atingiram a meta de premiação desta campanha. Com cardápio variado e muita interatividade, era possível customizar a camiseta do show, tirar fotos em uma moto Harley Davidson em exposição no espaço e até fazer uma tatuagem digital de curta duração. Às 18h30, o grupo seguiu para o estádio, para ocupar seus lugares nas cadeiras reservadas e assistir ao show de abertura da banda Goo Goo Dolls. 
 
Vale lembrar que a experiência no show do Bon Jovi, em São Paulo, é a premiação do primeiro semestre deste ano. A AlliadoZ Campanha 2019 se encerra em dezembro e ainda é possível participar. Os corretores com maior pontuação ao final do ano serão contemplados com uma viagem ao Peru, em 2020.


Sobre a Allianz Seguros
No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de mais de 50 filiais. 

A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes globais em seguros – o maior da Europa – e um dos maiores investidores do mundo, gerenciando cerca de 673 bilhões de euros em nome de seus segurados e administrando mais de 1,4 trilhão de euros de ativos de terceiros por meio da Allianz Global Investors e PIMCO. Em 2018, o Grupo Allianz alcançou receita total de 131 bilhões de euros e lucro operacional de 11,5 bilhões de euros. 

O Grupo Allianz está presente em mais de 80 países e seus clientes corporativos e de varejo passam de 88 milhões. Além de oferecer seguros de propriedade, vida, saúde, crédito, corporativos globais, e serviços de assistência, a Allianz também se destaca em estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia. Graças à integração sistemática de critérios ecológicos e sociais em processos de negócios e decisões de investimento, o Grupo Allianz é a seguradora líder no Índice Dow Jones de Sustentabilidade.

 

Informações à imprensa:

Virta Comunicação Corporativa
Lucila Lopes – lucila.lopes@grupovirta.com.br 
Bianca Bordignon – bianca@grupovirta.com.br
Natascha Ariceto – natascha.ariceto@grupovirta.com.br 
55 11 3894-2439

Relatório de Riqueza Global do Grupo Allianz: um ano sem vencedores

 
Em 2018, ativos financeiros globais caem pela primeira vez desde a crise financeira 
Convergência entre países mais pobres e mais ricos para
Crescimento do passivo se estabiliza em alto nível 
Brasil: ativos financeiros crescem, não seguindo tendência global
Riqueza global da classe média estagnada
 
Hoje, 18, a Allianz lança a décima edição do “Relatório de Riqueza Global do Grupo Allianz”, que apresenta a situação dos ativos e dívidas das famílias em mais de 50 países. Uma novidade triste: em 2018, os ativos financeiros nos países industrializados e em países emergentes caíram simultaneamente pela primeira vez; mesmo em 2008, no auge da crise financeira, isso não aconteceu. Em todo o mundo, os poupadores estavam de mãos atadas: por um lado, a crescente batalha comercial entre os EUA e a China, a interminável "saga do Brexit" e as crescentes tensões geopolíticas. No outro, o aperto das condições monetárias e a (anunciada) normatização da política monetária. As bolsas reagiram de acordo: os preços das ações globais caíram cerca de 12% em 2018, o que teve um impacto direto no crescimento de ativos. Os ativos financeiros brutos globais das famílias [1] caíram 0,1% e permaneceram mais ou menos estáveis em 172,5 trilhões de euros. "A crescente incerteza tem seu preço", disse Michael Heise, economista-chefe do Grupo Allianz. “O desmantelamento da ordem econômica global baseada em regras é venenoso para a acumulação de riqueza. Os números para o crescimento de ativos também tornam evidentes que negócios não são um jogo de zero a zero: ou todos estão do lado vencedor (como no passado) ou do lado perdedor (como aconteceu no ano passado). O protecionismo agressivo não tem vencedores.”.
 
Convergência entre os países mais pobres e ricos para
Em 2018, os ativos financeiros brutos nos mercados emergentes não apenas diminuíram pela primeira vez, mas o declínio de -0,4% foi mais evidente do que nos países industrializados (-0,1%). O fraco desenvolvimento na China, onde os ativos caíram 3,4%, teve um papel fundamental. No entanto, outros importantes mercados emergentes, como o México e a África do Sul, também tiveram que absorver perdas significativas em 2018.
 
Essa é uma inversão de tendência notável. Nas últimas duas décadas, o crescimento de ativos financeiros nas regiões mais pobres foi, em média, 11,2 pontos percentuais mais alto do que nas mais ricas, mesmo se o ano de 2018 for incluso. Parece que as disputas comerciais estabeleceram um ponto de parada repentino para o processo de recuperação dos países mais pobres. Os países industrializados, no entanto, também não se beneficiaram. O Japão (-1,2%), a Europa Ocidental (-0,2%) e a América do Norte (-0,3%) também tiveram de lidar com o crescimento negativo dos ativos.
 
Europa Oriental: o novo campeão de crescimento
Os ativos financeiros brutos das famílias latino-americanas aumentaram 7,1% em 2018. As outras duas regiões emergentes tiveram um desempenho diferente: enquanto a Ásia, exceto o Japão, registrou um declínio de 0,9%, a Europa Oriental avançou com um aumento de 8%, tornando-a a região que mais cresce em 2018. Esse aumento, no entanto, não foi menor devido ao rápido crescimento da inflação na Turquia.
 
Ao analisar as estratégias de investimentos, o surpreendente comportamento de poupar na América Latina se torna evidente: com menos de 20%, a parcela de depósitos bancários é muito baixa. Todas as outras regiões, com exceção da América do Norte, mostram uma tendência muito maior à liquidez; na Europa Ocidental, por exemplo, a participação é de cerca de 30%, na Ásia, exceto no Japão, em torno de 46% e na Europa Oriental bem acima de 50%. Por outro lado, a participação dos valores mobiliários, ações nominais e outros capitais próprios, e a participação dos seguros e pensões são notavelmente elevados, com 47% e 28%, respectivamente. Esse último é muito menor na Europa Oriental (11%) e na Ásia (16%), exceto no Japão.
 
"A América Latina está à frente da curva", disse Michaela Grimm, coautora do relatório. “Em comparação com seus pares na Europa Oriental e na Ásia, os sistemas de aposentadoria com capital próprio são muito mais avançados, mas o envelhecimento demográfico não poupará a América Latina; são necessários mais esforços. A digitalização deve ser vista como uma alavanca para oferecer soluções atraentes nesse campo. A América Latina precisa se preparar para o imenso tsunami demográfico.”
 
Crescimento do passivo se estabiliza em alto nível
O passivo doméstico mundial aumentou 5,7% em 2018, um pouco abaixo do nível do ano anterior de 6%, mas também bem acima da taxa média de crescimento anual a longo prazo de 3,6%. O índice de endividamento global (passivo como porcentagem do PIB), no entanto, permaneceu estável em 65,1% graças ao crescimento econômico ainda robusto. A maioria das regiões teve um desenvolvimento semelhante nesse respeito. Na América Latina, o índice de endividamento não mudou muito nos últimos quatro anos e permaneceu em modestos 29%. Isso contrasta fortemente com a Ásia (excluindo Japão), onde aumentou mais de 20 pontos percentuais na última década.
 
“A dinâmica da dívida na Ásia, e particularmente na China, é preocupante”, comentou Patricia Pelayo Romero, coautora do relatório. “As famílias chinesas já estão tão endividadas quanto as alemãs ou italianas, por exemplo. A última vez que testemunhamos um aumento tão rápido do endividamento privado foi nos EUA, Espanha e Irlanda pouco antes da crise financeira. Comparado à maioria dos países industrializados, os níveis de dívida na China ainda são significantemente mais baixos. As agências regulatórias, no entanto, não devem mais aguardar e ficar apenas assistindo. O crescimento impulsionado pela dívida não é sustentável e nem mesmo a China está imune a uma crise da dívida.”.
 
Devido ao forte crescimento do passivo, os ativos financeiros líquidos, ou seja, a diferença entre ativos financeiros brutos e dívida, caíram 1,9% em todo o mundo para 129,8 trilhões de euros no final de 2018. Os países emergentes, em particular, sofreram um declínio drástico: os ativos financeiros líquidos encolheram 5,7% (países industrializados: -1,1%); A América Latina, por outro lado, registrou um aumento de 6,2%.
 
Brasil: ativos financeiros crescem e não seguem tendência global
Os ativos financeiros brutos das famílias brasileiras aumentaram 10,6% em 2018. Por mais robusto que esse crescimento seja, se comparado à tendência global, foi um dos aumentos mais fracos desde a crise financeira. Esse desempenho modesto deveu-se principalmente ao menor crescimento em seguros e pensões, bem como em valores mobiliários. O primeiro caiu para 6,9%, registrando o aumento mais fraco em mais de duas décadas; o último, responsável por mais da metade de todos os ativos financeiros, aumentou "apenas" 14%, o aumento mais fraco em cinco anos. Os depósitos bancários, por outro lado, cresceram 9,4%, o aumento mais rápido desde 2014. A recuperação econômica foi mais visível no crescimento de passivos, que acelerou para 8,6%, a taxa mais rápida em três anos. Como resultado, o índice de endividamento das famílias atingiu 39,8% no final de 2018, bem acima da média regional de 29,6%
 
Os ativos financeiros líquidos no Brasil aumentaram 11,6% em 2018. Com ativos financeiros líquidos per capita de 6.320 euros, o Brasil subiu dois degraus para o 39º lugar no ranking dos países mais ricos (ativos financeiros per capita, veja tabela com os 20 principais). No topo, os EUA substituíram a Suíça novamente, principalmente graças ao dólar forte. Considerando uma visão de longo prazo e observando como a lista mudou desde a virada do século, torna-se evidente a ascensão (modesta) de muitos países da América Latina: os "vencedores" incluem o Brasil (+3 lugares), mas também o Chile (+3 lugares) e a Colômbia (+1 lugar). 
 
Apenas um solavanco na estrada?
Pela primeira vez em mais de uma década, a classe média global não cresceu: no final de 2018, aproximadamente 1.040 milhão de pessoas (entre elas 40 milhões de brasileiros) pertenciam à classe média global - que é mais ou menos o mesmo número de pessoas que o ano anterior. No contexto de redução de ativos na China, isso não é uma grande surpresa, afinal, até agora o surgimento da nova classe média global era principalmente um assunto chinês: quase metade de seus membros fala chinês, bem como 25% da classe alta. "Ainda existem muitas oportunidades para a prosperidade global", disse Arne Holzhausen, co-autor do relatório. “Se outros países densamente povoados, como Brasil, Rússia, Indonésia e, em particular, Índia, tivessem um nível e uma distribuição de riqueza comparável à China, a classe média global seria impulsionada por cerca de 350 milhões de pessoas e a classe alta global por cerca de 200 milhões de pessoas. Com isso, a distribuição global da riqueza seria um pouco mais igual: no final de 2018, os 10% mais ricos em todo o mundo possuíam aproximadamente 82% do total de ativos financeiros líquidos. Questionar a globalização e o livre comércio agora priva milhões de pessoas em todo o mundo de oportunidades de progresso.”
 
Os 20 melhores em 2018 por…
… Ativos financeiros líquidos per capita … Ativos financeiros brutos per capita
 
 
 
Munique, 18 de setembro de 2019
Você pode encontrar o estudo em nossa página:
https://www.allianz.com/en/economic_research/ in the Publications/Specials section
 
Um mapa interativo do mundo sobre os ativos e passivos das famílias pode ser encontrado aqui: 
https://www.allianz.com/en/economic_research/research_data/interactive-wealth-map
 
SOBRE A ALLIANZ 
O Grupo Allianz é uma das principais seguradoras e gestoras de ativos do mundo, com mais de 92 milhões de clientes corporativos e de varejo. Os clientes da Allianz se beneficiam de uma ampla gama de serviços de seguros pessoais e corporativos, desde seguros de propriedade, vida e saúde a serviços de assistência de seguros de crédito e seguros comerciais globais. A Allianz é um dos maiores investidores do mundo, gerenciando cerca de 673 bilhões de euros em nome de seus clientes de seguros. Além disso, nossos gerentes de ativos, PIMCO e Allianz Global Investors, gerenciam mais de 1,4 trilhão de euros em ativos de terceiros. Graças à nossa integração sistemática de critérios ecológicos e sociais em nossos processos de negócios e decisões de investimento, mantemos a posição de liderança das seguradoras no Índice Dow Jones de Sustentabilidade. Em 2018, mais de 142.000 funcionários em mais de 80 países alcançaram uma receita total de 131 bilhões de euros e um lucro operacional de 11,5 bilhões de euros para o grupo.
 
These assessments are, as always, subject to the disclaimer provided below.
Forward-looking statements
The statements contained herein may include prospects, statements of future expectations and other forward-looking statements that are based on management's current views and assumptions and involve known and unknown risks and uncertainties. Actual results, performance or events may differ materially from those expressed or implied in such forward-looking statements. 
Such deviations may arise due to, without limitation, (i) changes of the general economic conditions and competitive situation, particularly in the Allianz Group's core business and core markets, (ii) performance of financial markets (particularly market volatility, liquidity and credit events), (iii) frequency and severity of insured loss events, including from natural catastrophes, and the development of loss expenses, (iv) mortality and morbidity levels and trends, (v) persistency levels, (vi) particularly in the banking business, the extent of credit defaults, (vii) interest rate levels, (viii) currency exchange rates including the EUR/USD exchange rate, (ix) changes in laws and regulations, including tax regulations, (x) the impact of acquisitions, including related integration issues, and reorganization measures, and (xi) general competitive factors, in each case on a local, regional, national and/or global basis. Many of these factors may be more likely to occur, or more pronounced, as a result of terrorist activities and their consequences. 
No duty to update
The company assumes no obligation to update any information or forward-looking statement contained herein, save for any information required to be disclosed by law. 

Allianz reforça sua presença no Brasil 

 

Allianz adquire as operações de seguros de automóveis e Ramos Elementares da SulAmérica e se torna uma das três principais seguradoras de Ramos Elementares no Brasil

A transação coloca a Allianz na 2ª posição no mercado de seguros de automóvel

A aquisição é parte da estratégia de crescimento da Allianz em mercados-chave

O negócio ainda aguarda aprovação dos órgãos reguladores e a finalização é esperada para ocorrer dentro dos próximos doze meses.    

 

Munique / São Paulo, 23 de agosto de 2019 -  A Allianz assinou hoje o acordo de aquisição das operações de seguros de Automóveis e Ramos Elementares da SulAmérica. A aquisição irá fortalecer a posição competitiva da Allianz no Brasil e torna a companhia uma das três principais seguradoras no país. Com cerca de 15% de market share em seguro de Automóvel e 9% em Ramos Elementares, a Allianz se estabelecerá na 2ª posição em Auto.  As operações foram adquiridas por R$ 3 bilhões (667 milhões de euros).

O total de receita em prêmios das unidades compradas totalizou aproximadamente R$3.629 milhões de reais (806 milhões de euros) em 2018, sendo R$ 3.427 milhões (762 milhões de euros) provenientes da carteira de automóvel e R$ 202 milhões (45 milhões de euros) das operações de Ramos Elementares.

A receita total de prêmios das entidades em conjunto é R$6.871 milhões (1,5 bilhão de euros), com R$5.0 bi (1,2 bilhão de euros) relacionados ao negócio de automóveis. Com um volume de prêmios de aproximadamente R$69.9 bi (16 bilhões de euros) e uma taxa de crescimento de 6% somente em 2018, o mercado de seguros de Ramos Elementares no Brasil é muito atraente.

A transação amplia a oferta de produtos e serviços da Allianz para os clientes e oferece oportunidades para aumentar a presença geográfica da Allianz no Brasil. O negócio também permite investimentos adicionais em tecnologias digitais e disruptivas para potencializar o setor e continuar a oferecer as melhores soluções para corretores e clientes no Brasil.

“Com a aquisição das operações de Ramos Elementares da SulAmérica, demos mais um grande passo no reposicionamento estratégico de nossos negócios de seguros na América Latina”, diz Oliver Bäte, Chief Executive Officer da Allianz SE. “Estamos alcançando de maneira muito clara uma posição de liderança para competir efetivamente no crescente mercado de Ramos Elementares do Brasil, a maior economia da América do Sul. ”

“Estamos criando uma nova Allianz no Brasil, combinando as melhores pessoas de ambos os lados e formando uma excelente equipe que aproveitará as oportunidades do mercado brasileiro com total comprometimento e confiança”, diz Eduard Folch Rue, Chief Executive Officer da Allianz Seguros. “Nossa marca registrada será a inovação, a digitalização e o serviço aos nossos clientes por meio de nossos principais parceiros, os corretores e assessorias. Combinaremos o conhecimento local da SulAmérica com todos os pontos fortes que um grupo internacional como a Allianz possui. ”

A transação está prevista para ser concluída dentro dos próximos doze meses, após as aprovações dos órgãos reguladores. 

 

For further information, please contact:

Allianz SE

Holger Klotz Tel. +49 89 3800 90921, e-mail: holger.klotz@allianz.com

Daniela Markovic Tel. +49 89 3800 2063, e-mail: daniela.markovic@allianz.com

 

Allianz Seguros S.A. (Allianz Brasil)

 

Virta Comunicação Corporativa

Lucila Lopes – lucila.lopes@virta.inf.br 

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br

Natascha Ariceto – natascha.ariceto@virta.inf.br 

55 11 3894-2439

 

About Allianz

The Allianz Group is one of the world's leading insurers and asset managers with more than 92 million retail and corporate customers. Allianz customers benefit from a broad range of personal and corporate insurance services, ranging from property, life and health insurance to assistance services to credit insurance and global business insurance. Allianz is one of the world’s largest investors, managing around 729 billion euros on behalf of its insurance customers. Furthermore, our asset managers PIMCO and Allianz Global Investors manage more than 1.5 trillion euros of third-party assets. Thanks to our systematic integration of ecological and social criteria in our business processes and investment decisions, we hold the leading position for insurers in the Dow Jones Sustainability Index. In 2018, over 142,000 employees in more than 80 countries achieved total revenues of 132 billion euros and an operating profit of 11.5 billion euros for the group.

 

About Allianz Seguros S.A.

In Brazil for 115 years, Allianz Seguros has been active in Property & Casualty and health insurance and is present nationwide through, more than 1,000 employees, 48 branches and approximately 15,000 insurance brokers, which are the company's main business partners. With the premise of developing long-term actions, both in our business and in the social field, 25 years ago a group of employees created ABA – Charitable Association of the Employees from Allianz Seguros. During this period, more than 7,000 children and adolescents from the Santa Rita Community were attended by ABA, trough complementary activities to formal education, such as arts, sports and digital inclusion. Allianz Seguros lends its name to the Allianz Parque, the most modern multipurpose arena in the country. Since its launch in November 2014, it has hosted over 6.5 million people.

Grupo Allianz registra forte rentabilidade no 2º trimestre de 2019. Perspectivas de lucro operacional para o ano estão confirmadas
 
Crescimento da receita interna de 4,1% no 2º trimestre de 2019
Lucro operacional do 2º trimestre de 2019 sobe 5,4% e alcança €3,2 bilhões
Lucro líquido atribuível aos acionistas no 2º trimestre de 2019 aumenta 13,1% e chega a €2,1 bilhões
Lucro operacional no 1º semestre de 2019 de €6,1 bilhões atinge 53% do ponto médio previsto para o ano
Lucro líquido atribuível aos acionistas no 1º semestre de 2019 teve alta de 7,3% e foi a €4,1 bilhões
Índice de capitalização sob Solvency II registra 213% ao final do 2º trimestre de 2019, contra 218% ao final do 1º trimestre de 2019
Perspectiva de lucro operacional para 2019 está confirmada em €1,5 bilhões, com margem, de mais ou menos, €500 milhões.
 
Resumo da Administração: fortes receitas totais e lucratividade
Após um início bem-sucedido em 2019, o Grupo Allianz manteve um desempenho operacional muito forte no segundo trimestre do ano. No centro deste resultado está a estratégia focada da Allianz, sua execução firme e seu diversificado portfólio de negócios. O crescimento da receita interna, com a correção dos efeitos cambiais e de consolidação, foi de 4,1% no segundo trimestre de 2019. A receita total aumentou em 6,1% atingindo €33,2 (segundo trimestre de 2018: €31,3) bilhões. O lucro operacional cresceu 5,4% e registrou €3,2 (contra €3,0) bilhões no segundo trimestre de 2019, em grande parte impulsionado pelo segmento de negócios Vida e Saúde, com bom desempenho subjacente e um lucro sem precedentes nos Estados Unidos. O lucro operacional do nosso segmento de Gestão de Ativos aumentou, sobretudo como resultado das receitas mais elevadas decorrentes dos ativos sob gestão. Um resultado mais baixo do investimento levou a um decréscimo no lucro operacional do nosso segmento de negócios Property-Casualty (P&C).
 
O lucro líquido atribuível aos acionistas aumentou 13,1%, passando a €2,1 (€1,9) bilhões no segundo trimestre de 2019, devido ao crescimento do lucro operacional e a uma melhora no resultado não operacional. Este último melhorou porque o segundo trimestre de 2018 foi afetado por um impacto negativo da venda de nossa carteira tradicional de seguro de vida em Taiwan.
 
O lucro básico por ação (EPS) aumentou 10,2%, registrando €9,76 (€8,86) no primeiro semestre de 2019. O retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) anualizado foi de 14,7% (ano completo de 2018: 13,2%). O índice de capitalização sob o Solvency II diminuiu dos 218% registrados no fim do primeiro trimestre de 2019 para 213% no fim do segundo trimestre de 2019. O declínio foi motivado predominantemente por movimentos de mercado e ações de gestão de capital, ambos parcialmente compensados pelos ganhos operacionais positivos do Solvency II.
 
No primeiro semestre de 2019, o lucro operacional cresceu 6,4% ficando em €6,1 (€5,8) bilhões, o que está acima do ponto médio de nossa meta para o ano todo. O lucro operacional do nosso segmento de Vida e Saúde aumentou, apoiado por um lucro sem precedentes nos Estados Unidos. O segmento Property-Casualty (P&C) registrou um resultado melhorado na subscrição de prêmios, ao passo que o lucro operacional do nosso segmento de Gestão de Ativos permaneceu estável. Nosso crescimento do lucro operacional foi o principal impulsionador do crescimento de 7,3% no lucro líquido atribuível ao acionista que alcançou €4,1 bilhões.
 
Em 14 de fevereiro de 2019, a Allianz anunciou um novo programa de recompra de ações de até €,5 bilhão. Um total de 6,2 milhões de ações foram adquiridas até 30 de junho de 2019, representando 1,5% do capital em circulação.
 
"Estou orgulhoso pelo fato de a equipe Allianz ter, mais uma vez, apresentado um desempenho saudável", declarou Oliver Bäte, CEO do Grupo Allianz. “O desempenho sustentável é o resultado da rigorosa execução da nossa estratégia que fornece soluções desejadas aos nossos clientes. Nossos resultados no semestre comprovam que a Allianz está no caminho certo para atingir as suas metas para o ano todo.”
 
Seguro Property-Casualty (P&C): forte crescimento na receita e sólido resultado na subscrição
A receita total aumentou 7,3% registrando €13,4 bilhões no segundo trimestre de 2019. Com a correção para efeitos de conversão cambial para moeda estrangeira e consolidação, o crescimento interno totalizou 4,3%. Os principais impulsionadores desse crescimento foram AGCS, Euler Hermes e Alemanha.
O lucro operacional declinou 5%, em comparação ao segundo trimestre de 2018, ficando em €1,4 bilhão, devido a um resultado mais baixo no investimento, enquanto o resultado da subscrição permaneceu estável.
O índice combinado se manteve estável na marca de 94,3% no segundo trimestre de 2019, já que o resultado menor do run-off foi parcialmente compensado por uma forte melhora no nosso índice de despesas.
 
"Estamos vendo um sólido desempenho no nosso segmento Property-Casualty (P&C), apesar do menor resultado de investimento", afirmou Giulio Terzariol, diretor financeiro do Grupo Allianz. “O crescimento interno, apoiado por mudanças saudáveis nas taxas, mostra a força da nossa empresa. Continuamos a manter uma subscrição disciplinada, ao mesmo tempo em que seguimos avançando na nossa produtividade, conforme comprovado pelo índice de despesas melhorado”.
 
No primeiro semestre de 2019, a receita total aumentou para €32,9 (€30,9) bilhões. Após os ajustes para corrigir os efeitos cambiais e de consolidação, o crescimento interno foi de 4,5%, impulsionado principalmente pela AGCS, Alemanha e Euler Hermes. O lucro operacional melhorou em 4%, em comparação com o mesmo período do ano anterior, passando a €2,8 bilhões, devido a um resultado melhor na subscrição, já que registramos menores sinistros decorrentes de catástrofes naturais, assim como um melhor índice de despesas. O índice combinado para o primeiro semestre melhorou 0,4 pontos percentuais e chegou a 94%.
 
Seguro Vida e Saúde: crescimento de dois dígitos no lucro 
Valor atual dos prêmios de novos negócios (PVNBP) , foi elevado para €15,2 (€14,0) bilhões no segundo trimestre de 2019, principalmente como resultado do aumento das vendas em seguro de Vida na Alemanha e nos Estados Unidos. Isso foi parcialmente compensado pelo enfraquecimento nas vendas de produtos na Itália e em Taiwan. 
A margem de novos negócios (NBM) subiu para 3,6% (3,5%) no segundo trimestre de 2019 devido a um mix de negócios favorável, elevando em 10,7%, o valor dos novos negócios (VNB), que registrou €544 (€491) milhões.
O lucro operacional cresceu para €1,2 (1,1) bilhão no segundo trimestre de 2019, impulsionado principalmente pela mudança no período de amortização do custo de aquisição diferido (Deferred Acquisition Costs (DAC) para as anuidades de índices fixo nos Estados Unidos e pelo crescimento em volume. Esse avanço foi parcialmente compensado por uma menor margem de investimento.   
 
“Nosso segmento de Vida e Saúde continuou se mantendo muito bem no ambiente de baixas taxas de juros, conforme demonstrado por nossas vendas dinâmicas”, afirmou Giulio Terzariol. “Continuamos crescendo em todas as regiões e nas nossas linhas de negócios preferenciais. Margens de novos negócios saudáveis darão apoio à nossa lucratividade operacional futura.”
 
No primeiro semestre de 2019, o valor atual dos prêmios de novos negócios aumentou para €32,9 (€29,0) bilhões, em grande parte devido às maiores vendas em seguro de Vida na Alemanha e nos Estados Unidos. O lucro operacional subiu para €2,3 (€2,1) bilhões, impulsionado principalmente pelo efeito favorável da mudança no período de amortização do custo de aquisição diferido (Deferred Acquisition Costs - DAC)  nos Estados Unidos. A margem de novos negócios aumentou para 3,5% (3,4%), elevando o valor dos novos negócios a €1,153 (€980 milhões) bilhão.
 
Gestão de ativos: fortes entradas líquidas também no segundo trimestre – ativos  sob gestão registram alta histórica
Os ativos sob gestão de terceiros (AuM) tiveram crescimento de €44 bilhões, atingindo €1,591 trilhão no segundo trimestre de 2019, registrando mais uma vez um recorde histórico. Esse aumento foi impulsionado pelos efeitos positivos no mercado da ordem de €37,8 bilhões e entradas líquidas de €20,3 bilhões. Efeitos desfavoráveis de conversão de moeda estrangeira de €14,4 bilhões tiveram um impacto compensatório.
O total de ativos sob gestão aumentou para €2,163 trilhões, registrando mais uma vez um valor sem precedentes.
A relação custo-benefício (CIR) melhorou 0,5 ponto percentual ficando em 61,1%, frente ao segundo trimestre de 2018. O lucro operacional aumentou para €678 (€652) milhões no segundo trimestre de 2019 devido a um aumento das receitas operacionais, suportado por um AuM (ativos sob gestão de terceiros) médio mais elevado. Considerados os ajustes por efeitos de conversão cambial, o lucro operacional permaneceu estável.
 
"Neste trimestre, a Gestão de Ativos entregou novamente resultados robustos", disse Giulio Terzariol. "Com os ativos de terceiros sob gestão em um novo nível recorde de €1,591 trilhão, estamos em vias de atingir a nossa meta de lucro operacional para o ano todo."
 
No primeiro semestre de 2019, as receitas operacionais tiveram alta de 1,9%, passando a €3,3 bilhões, apoiadas por maiores receitas provenientes de AuM. Como as taxas de desempenho diminuíram e os investimentos no crescimento do negócio foram feitos, a relação custo-benefício aumentou 0,6 ponto percentual, indo para 62,3%. O lucro operacional subiu 0,4%, para €1,251 (€1,247) trilhão. Em termos internos, o lucro operacional diminuiu 4,9%. Além disso, efeitos favoráveis de mercado, entradas líquidas de terceiros e a aquisição da Gurtin Municipal Bond Management resultaram em ativos sob gestão de terceiros de €1,591 trilhão – um aumento de €155 bilhões, equivalendo a 10,8% a mais em relação ao final do ano de 2018.
 
 
Sobre a Allianz
O Grupo Allianz é uma das principais seguradoras e gestores de ativos do mundo, com mais de 92 milhões de clientes corporativos e de varejo. Os clientes da Allianz se beneficiam de uma ampla gama de serviços de seguros pessoais e corporativos, que vão desde seguros de Propriedade, Vida e Saúde a serviços de assistência, seguro de crédito e seguro comercial global. A Allianz é um dos maiores investidores do mundo, gerenciando cerca de €729 bilhõesem nome de seus clientes de seguros. Além disso, nossos gestores de ativos PIMCO e Allianz Global Investors administram mais de €1,5 trilhão em ativos de terceiros. Graças à nossa integração sistemática de critérios ecológicos e sociais em nossos processos de negócios e decisões de investimento, ocupamos a posição de liderança para as seguradoras no Índice Dow Jones de Sustentabilidade. Em 2018, mais de 142 mil funcionários em mais de 80 países alcançaram receitas totais de €132 bilhões e um lucro operacional de €11,5 bilhões para o Grupo.
 
These assessments are, as always, subject to the disclaimer provided below. 
 
Cautionary note regarding forward-looking statements 
This document includes forward-looking statements, such as prospects or expectations, that are based on management's current views and assumptions and subject to known and unknown risks and uncertainties. Actual results, performance figures, or events may differ significantly from those expressed or implied in such forward-looking statements. Deviations may arise due to changes in factors including, but not limited to, the following: (i) the general economic and competitive situation in the Allianz Group's core business and core markets, (ii) the performance of financial markets (in particular market volatility, liquidity, and credit events), (iii) the frequency and severity of insured loss events, including those resulting from natural catastrophes, and the development of loss expenses, (iv) mortality and morbidity levels and trends, (v) persistency levels, (vi) particularly in the banking business, the extent of credit defaults, (vii) interest rate levels, (viii) currency exchange rates, most notably the EUR/USD exchange rate, (ix) changes in laws and regulations, including tax regulations, (x) the impact of acquisitions including and related integration issues and reorganization measures, and (xi) the general competitive conditions that, in each individual case, apply at a local, regional, national, and/or global level. Many of these changes can be exacerbated by terrorist activities. 
 
No duty to update 
The Allianz Group assumes no obligation to update any information or forward-looking statement contained herein, save for any information we are required to disclose by law. 
 
Other 
The figures regarding the net assets, financial position and results of operations have been prepared in conformity with International Financial Reporting Standards. 
Information is based on preliminary figures. Final results for fiscal year 2018 will be released on March 8, 2019 (publication of the Annual Report). 
This is a translation of the German Quarterly and Full Year Earnings Release of the Allianz Group. In case of any divergences, the German original is binding. 
 
Privacy Note 
Allianz SE is committed to protecting your personal data. Find out more in our Privacy Statement.
 
Para mais informações, entre em contato com:
Holger KlotzTel. +49 89 3800 90921
Daniela Markovic Tel. +49 89 3800 2063
 
Informações à imprensa Allianz Seguros 
 
Virta Comunicação Corporativa
Lucila Lopes – lucila.lopes@grupovirta.com.br 
Bianca Bordignon – bianca@grupovirta.com.br
Natascha Ariceto – natascha.ariceto@grupovirta.com.br 
55 11 3894-2439

Allianz aborda tendências de mercado e ramo Vida no Simpósio Paranaense de Seguros
  

Allianz aborda tendências de mercado e ramo Vida no Simpósio Paranaense de Seguros  


São Paulo, 16 de maio de 2019 – Entre hoje, 16, e amanhã, a Allianz Seguros estará presente no 9º Simpósio Paranaense de Seguros. O evento será realizado pelo Sincor-PR, no Espaço Torres, em Curitiba. 
No primeiro dia de evento, Luciano Ambrosini, diretor regional Sul, e colaboradores da equipe Comercial das filiais do Paraná receberão os corretores no almoço promovido pela seguradora. Já no dia 17, executivos da Allianz participarão de painéis acerca do tema do evento: “Inovar, participar e colaborar – um novo cenário”. 
Vivian Braga, superintendente de Market Management, fará parte do talk show “Inovação e Tecnologia”, com o tema “Tendências – produtos e mercado. O que podemos esperar?”, que acontecerá às 9h30. Rodrigo Cezareto, superintendente de Vida, estará ao lado de outros executivos do mercado para tratar sobre Benefícios, às 11h15. O foco de Cezareto será o seguro de Vida em Grupo. Nos dois painéis haverá espaço para a plateia fazer perguntas.   

Sobre a Allianz Seguros
No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de mais de 50 filiais. 

A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes globais em seguros – o maior da Europa – e um dos maiores investidores do mundo, gerenciando cerca de 673 bilhões de euros em nome de seus segurados e administrando mais de 1,4 trilhão de euros de ativos de terceiros por meio da Allianz Global Investors e PIMCO. Em 2018, o Grupo Allianz alcançou receita total de 131 bilhões de euros e lucro operacional de 11,5 bilhões de euros. 

O Grupo Allianz está presente em mais de 80 países e seus clientes corporativos e de varejo passam de 88 milhões. Além de oferecer seguros de propriedade, vida, saúde, crédito, corporativos globais, e serviços de assistência, a Allianz também se destaca em estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia. Graças à integração sistemática de critérios ecológicos e sociais em processos de negócios e decisões de investimento, o Grupo Allianz é a seguradora líder no Índice Dow Jones de Sustentabilidade.
 

Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa
Lucila Lopes – lucila.lopes@virta.inf.br 
Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br
Natascha Ariceto – natascha.ariceto@virta.inf.br 
55 11 3894-2439

 

Allianz presente no 1º CONGRECOR

 

São Paulo, 3 de maio – A Allianz Seguros participa do 1º Congresso Regional Centro-Oeste e Minas dos Corretores de Seguros (CONGRECOR), no Center Convention, em Uberlândia.

Com o tema “Inovação, Negócios e Oportunidades”, as palestras e painéis do evento tratarão das tendências e desafios do mercado de seguros. Eduardo Grillo, diretor executivo Comercial, Ricardo Zhouri, diretor regional Minas Gerais e Centro-Oeste, e a equipe comercial da Regional Minas Gerais e Centro-Oeste recebem os corretores no estande para potencializar conversas sobre o momento de transição vivido pelo mercado, o novo modelo de negócios da seguradora e apresentar as novidades em seus produtos.
 

Sobre a Allianz Seguros

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de mais de 50 filiais. 

A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes globais em seguros – o maior da Europa – e um dos maiores investidores do mundo, gerenciando cerca de 673 bilhões de euros em nome de seus segurados e administrando mais de 1,4 trilhão de euros de ativos de terceiros por meio da Allianz Global Investors e PIMCO. Em 2018, o Grupo Allianz alcançou receita total de 131 bilhões de euros e lucro operacional de 11,5 bilhões de euros. 

O Grupo Allianz está presente em mais de 80 países e seus clientes corporativos e de varejo passam de 88 milhões. Além de oferecer seguros de propriedade, vida, saúde, crédito, corporativos globais, e serviços de assistência, a Allianz também se destaca em estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia. Graças à integração sistemática de critérios ecológicos e sociais em processos de negócios e decisões de investimento, o Grupo Allianz é a seguradora líder no Índice Dow Jones de Sustentabilidade.
 

Informações à imprensa

Virta Comunicação Corporativa
Lucila Lopes – lucila.lopes@virta.inf.br 
Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br
Natascha Ariceto – natascha.ariceto@virta.inf.br 
55 11 3894-2439

Cinco carteiras da Allianz Seguros são reconhecidas no Prêmio Segurador Brasil

 

Condomínio, Vida em Grupo e Aeronáuticos na categoria “Melhor Desempenho”; Marítimos no quesito “Liderança”; e Residencial na modalidade “Maior Crescimento em Vendas” receberam o troféu do 16º Prêmio Segurador Brasil
 
Por mais um ano, a Allianz Seguros esteve entre as seguradoras que recebeu o troféu do Prêmio Segurador Brasil, promovido pela editora Brasil Notícias. A 16ª edição do evento aconteceu na última quinta-feira, 28, no Edifício Itália, em São Paulo.  
 
Para os organizadores chegarem aos premiados, foram realizadas análises pela equipe de economistas e estatísticos da Silcon Estudos Econômicos. A consultoria examinou informações contábeis disponíveis no site da Superintendência de Seguros Privados (Susep) e referentes ao período de dezembro de 2017 a novembro de 2018. 
 
A Allianz Seguros foi destaque na categoria “Melhor Desempenho – conglomerados acima de R$ 2,5 bilhões”, com as carteiras “Condomínio”, “Vida em Grupo” e “Aeronáuticos”. No quesito “Liderança”, foi premiada com “Marítimos”. Já na modalidade “Maior Crescimento de Vendas”, o troféu ficou com “Residencial”. 
 
O executivo David Beatham, diretor executivo de Massificados, Automóvel e Vida, elencou os principais motivos que levaram as carteiras de Condomínio, Vida em Grupo e Residencial a serem reconhecidas. “Esses produtos foram incluídos no atual modelo de negócios da Allianz, que tem como base a simplicidade, conectividade e a proximidade com o corretor de seguros. A partir dessas premissas, as etapas do sistema de cálculo foram automatizadas e agilizadas, tendo como consequência a alavancagem de vendas, diversificação de carteiras e ganho operacional, aos nossos parceiros de negócios e, consequentemente, a nós, seguradora”, explicou o executivo. A implementação deste novo conceito permitiu ainda que a quantidade e o tempo de preenchimento de campos para cotação caíssem consideravelmente. Com ele também foi possível a comercialização por meio de pacotes, para garantir coberturas completas aos clientes.    
 
Já a Karine Correa Paes de Barros, diretora executiva de Negócios Corporativos, discorreu sobre os fatores que alavancaram os produtos “Aeronáuticos” e “Marítimos” serem homenageados. Ao fazer uma retrospectiva do ano passado, a executiva atribui a premiação “aos ajustes na política de subscrição, além da revisão das condições contratuais dos produtos”. Assim como David, Karine finalizou destacando a revisão dos processos internos, com destaque à simplificação da oferta dos seguros aos corretores e clientes e a disponibilização de opções de coberturas que atendam melhor as necessidades dos segurados.   

Sobre a Allianz Seguros
No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de mais de 50 filiais. 

A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes globais em seguros – o maior da Europa – e um dos maiores investidores do mundo, gerenciando cerca de 673 bilhões de euros em nome de seus segurados e administrando mais de 1,4 trilhão de euros de ativos de terceiros por meio da Allianz Global Investors e PIMCO. Em 2018, o Grupo Allianz alcançou receita total de 131 bilhões de euros e lucro operacional de 11,5 bilhões de euros. 

O Grupo Allianz está presente em mais de 80 países e seus clientes corporativos e de varejo passam de 88 milhões. Além de oferecer seguros de propriedade, vida, saúde, crédito, corporativos globais, e serviços de assistência, a Allianz também se destaca em estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia. Graças à integração sistemática de critérios ecológicos e sociais em processos de negócios e decisões de investimento, o Grupo Allianz é a seguradora líder no Índice Dow Jones de Sustentabilidade.

 
 

Virta Comunicação Corporativa
Lucila Lopes – lucila.lopes@virta.inf.br 

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br
Natascha Ariceto – natascha.ariceto@virta.inf.br 
55 11 3894-2439

imprensa@allianz.com.br

Allianz leva corretores ao show do lendário Paul McCartney

 

Resultado de uma das premiações da Campanha AlliadoZ 2018, mais de 200 pessoas lotaram o lounge All you need is Alliadoz, no Allianz Parque, na última terça-feira, 26, especialmente ambientado com elementos que permearam a carreira de um dos maiores ícones do rock


Como que antevendo a empolgação dos corretores quando Paul McCartney cantou “Blackbird”, Eduard Folch, presidente da Allianz Seguros, deixou a sensação de que se inspirou em seu refrão You were only waiting for this moment to arise (você só estava esperando esse momento surgir) para fazer o discurso de boas-vindas aos vencedores de todo o Brasil de uma das três premiações da Campanha AlliadoZ 2018. O recado foi certeiro: “Hoje é tempo de desfrutar! Estava esperando por esse momento para dar parabéns pelo trabalho que vocês fizeram no ano passado. E quero ver vocês na África do Sul no ano que vem, que é a premiação principal da AlliadoZ 2019”.

Ainda antes do show, como bem lembrou o diretor executivo Comercial Eduardo Grillo, há cinco anos Paul inaugurava a arena que simboliza uns dos naming rights mais bem-sucedidos do Brasil e é palco de uma das principais plataformas de relacionamento da Allianz com os corretores. “Nós estamos aqui para recebê-los, para abraçá-los e agradecer por vocês nos desafiarem a sempre procurar novos caminhos”, disse o executivo.

Sem dúvida, assistir ao ex-Beatle teve um significado especial para os 108 corretores e seus acompanhantes. Aliás, pode-se afirmar que para o mercado segurador, já que prova que as tábuas atuariais tão usadas no seguro de Vida estão corretas: viver mais, produzindo melhor e com saúde é uma realidade. Tanto que a venda de apólices do Allianz Vida foi uma das grandes responsáveis pela premiação de boa parte dos corretores que lá estavam presentes.

Aos 76 anos, sir James Paul McCartney mostrou que o tempo e as mudanças da nova era têm o potencial de aprimorar os profissionais. “Ter a oportunidade de ver o Paul, que faz parte da minha vida desde a infância, e conferir a qualidade do seu trabalho me inspira a querer mais”, diz Heráclito Coutinho de Oliveira, diretor da Banese Corretora de Seguros, que a Allianz trouxe de Aracaju (SE) para participar do evento All you need is AlliadoZ 2018. 

Foram cerca de 40 músicas em quase 3 horas de um show composto por hits como “Love me do”, “Ob-La-Di, Ob-La-Da”, “Let it Be” e “Hey Jude” – esta última levando os corretores e todo o público da arena a ligar a lanterna de seus celulares fazendo a noite virar dia -, além das músicas do seu 18º álbum solo, “Egypt Station” e várias outras canções que permearam sua carreira. 
 
Curtindo o show com sua esposa Vilma, Célio Eugênio da Silva, da Sudeste Corretora de Seguros, de Araxá (MG), lacrou: “A Allianz é fera como o Paul. Trabalho com a companhia há mais de 20 anos e sei que o meu cliente pode contar com ela na hora que mais precisa, que é quando há o sinistro”.  

A noite também fez alguns corretores se lembrarem de outras campanhas da Allianz em que foram premiados. Do interior de São Paulo, José Basílio Chamiço, da Chamisso Corretora de Seguros, disse que não foi difícil pontuar, porque adotou a estratégia de diversificar a base dos produtos oferecidos. Além do Vida, o Allianz Auto, o Master Empresarial e o Agro foram os responsáveis por levá-lo ao Allianz Parque. “Para quem é fã dos Beatles como eu, estar aqui hoje é um sonho e me incentiva a buscar a premiação principal da AlliadoZ Campanha deste ano”.

Quem já foi à África do Sul com a Allianz sabe: a experiência é inesquecível. Antônio Carlos Ferraro, da corretora carioca Ferraro Corretora de Seguros, lembrou-se de que foi um dos vencedores da campanha que marcou o centenário da companhia no Brasil, há 15 anos, levando um grupo de corretores ao país africano. “Essa é a quinta campanha de vendas da Allianz em que sou premiado e eu me diferenciei na pontuação por oferecer também o Residência. Apesar da minha carteira contemplar imóveis mais selecionados, é um produto que muita gente esquece, mas que tem uma importância social enorme e a prova está no período de chuvas que acabamos de enfrentar”.

Ricardo Pansera também foi outro corretor presente no show que foi para a África do Sul em 2004 e premiado por vender produtos diferentes. Aproveitando as oportunidades do mercado de Caxias do Sul (RS), Pansera, da corretora que leva seu sobrenome, apostou nos seguros para equipamentos agrícolas e do bom momento do agronegócio no país para se destacar na Campanha. “Pontuar é consequência. Em primeiro lugar é importante ter uma parceria sólida. Trabalho com a Allianz desde que a marca era Brasil Seguros e sempre mantivemos um relacionamento de qualidade e respeito”, conclui Pansera.

E se você está pensando que as premiações da AlliadoZ 2018 acabaram, engana-se: já tem vários corretores de malas prontas para Cartagena, na Colômbia, e ávidos por experimentar as delícias e os vinhos da bela Toscana.

Sobre a Allianz Seguros
No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de mais de 50 filiais. 

A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes globais em seguros – o maior da Europa – e um dos maiores investidores do mundo, gerenciando cerca de 673 bilhões de euros em nome de seus segurados e administrando mais de 1,4 trilhão de euros de ativos de terceiros por meio da Allianz Global Investors e PIMCO. Em 2018, o Grupo Allianz alcançou receita total de 131 bilhões de euros e lucro operacional de 11,5 bilhões de euros. 

O Grupo Allianz está presente em mais de 80 países e seus clientes corporativos e de varejo passam de 88 milhões. Além de oferecer seguros de propriedade, vida, saúde, crédito, corporativos globais, e serviços de assistência, a Allianz também se destaca em estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia. Graças à integração sistemática de critérios ecológicos e sociais em processos de negócios e decisões de investimento, o Grupo Allianz é a seguradora líder no Índice Dow Jones de Sustentabilidade.

 

Virta Comunicação Corporativa

Lucila Lopes – lucila.lopes@virta.inf.br 

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br
Natascha Ariceto – natascha.ariceto@virta.inf.br 
55 11 3894-2439

imprensa@allianz.com.br

Allianz participa da Hora do Planeta 2019

 

A Allianz Seguros e suas empresas coirmãs, Allianz Global Corporate & Specialty (AGCS), Euler Hermes e Allianz Partners, participarão mais uma vez da ação Hora do Planeta, que acontece este ano no dia 30 de março (sábado). As companhias apagarão as luzes de suas sedes às 20h30 em um movimento mundial para a conscientização e redução do aquecimento global, bem como os impactos das mudanças climáticas no mundo. 
 
O Allianz Parque, arena multiuso que leva o nome da seguradora, também vai endossar a ação e desligar seu luminoso no horário marcado.
 
A participação está sendo estendida aos colaboradores das empresas, parceiros de negócios, corretores e clientes, que foram convidados a fazer o mesmo em suas casas, mantendo as luzes apagadas por uma hora na noite de sábado. A proposta de passar esse tempo sem luz mostra à população a importância do recurso natural e, por isso, a necessidade do uso consciente.
 
A ação reforça o compromisso do Grupo Allianz com o meio ambiente e sua estratégia de engajar-se em soluções cada vez mais sustentáveis para suas operações e de seus clientes. Desde 2017, o grupo já investiu 5,6 milhões de euros em energias renováveis, contribuindo para a meta do Acordo Climático de Paris, de impedir o aumento da temperatura do planeta. Outras ações também serão implementadas dentro do plano de sustentabilidade até 2022. 

Por sua proatividade, o Grupo Allianz conquistou em 2018 a liderança do Índice Dow Jones de Sustentabilidade na categoria Seguros. 

A  Hora do Planeta, liderada pela instituição não governamental WWF, acontecerá sábado, no dia 30 de março, das 20h30 às 21h30. O movimento tido como o maior chamado para o combate ao aquecimento global nasceu em 2007 na Austrália e já se espalhou por todo o mundo. No ano passado, a Hora do Planeta contou com a participação de 188 países e teve mais de 17 mil ícones ou monumentos apagados. O Brasil envolveu 100 cidades e desligou as luzes de 1500 monumentos.  
 
Até 2020, a manifestação tem como foco a relação entre as mudanças climáticas e os seus impactos na biodiversidade. 


Sobre a Allianz Seguros
No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de mais de 50 filiais. 

A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes globais em seguros – o maior da Europa – e um dos maiores investidores do mundo, gerenciando cerca de 673 bilhões de euros em nome de seus segurados e administrando mais de 1,4 trilhão de euros de ativos de terceiros por meio da Allianz Global Investors e PIMCO. Em 2018, o Grupo Allianz alcançou receita total de 131 bilhões de euros e lucro operacional de 11,5 bilhões de euros. 

O Grupo Allianz está presente em mais de 80 países e seus clientes corporativos e de varejo passam de 88 milhões. Além de oferecer seguros de propriedade, vida, saúde, crédito, corporativos globais, e serviços de assistência, a Allianz também se destaca em estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia. Graças à integração sistemática de critérios ecológicos e sociais em processos de negócios e decisões de investimento, o Grupo Allianz é a seguradora líder no Índice Dow Jones de Sustentabilidade.

 

 
 

Virta Comunicação Corporativa
Lucila Lopes – lucila.lopes@virta.inf.br 

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br
Natascha Ariceto – natascha.ariceto@virta.inf.br 
55 11 3894-2439

imprensa@allianz.com.br

Allianz Seguros participa do 1º Trocando Ideias da UCS de 2019

 

Eduardo Grillo, diretor Comercial, David Beatham, diretor de Massificados e Vida, e a equipe comercial da Allianz Seguros participaram do “1º encontro Trocando Ideias”, de 2019.

 

No evento, Grillo falou sobre as expectativas da Allianz para o ano e discorreu sobre a visão estratégica para a parceria entre a seguradora e os corretores seguros. “Estamos trabalhando para melhorar cada vez mais nossos processos a fim de otimizar a atuação com o corretor de seguros. Em 2019, queremos que o corretor participe da gestão de sua carteira e crie valor com o segurado, sempre apoiado pela Allianz.”, reforçou Grillo. O discurso do executivo é fruto da forte dedicação da Allianz em aprimorar, nos últimos anos, processos e produtos, que supram às novas necessidades do canal de vendas e clientes inseridos em um mundo conectado.  

 

Já Beatham destacou os diferenciais do seguro empresarial que possui um processo de cotação simplificado, além de coberturas abrangentes, tendo como base a simplicidade, conectividade, eficiência e proximidade. Para o diretor, “mudanças como a oferta de coberturas amplas e limites maiores vão respaldar melhor o cliente no momento de sinistro, dentro de um custo compatível com apólices básicas de mercado”.

 

Promovido pela União dos Corretores de Seguros (UCS), o “Trocando Ideias” tem como foco aproximar seguradoras e corretores associados.

 

Sobre a Allianz Seguros

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de mais de 60 filiais.

 

A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes globais em seguros – o maior da Europa – e um dos maiores investidores do mundo, gerenciando mais de 660 bilhões de euros em nome de seus segurados e administrando mais de 1,4 trilhão de euros de ativos de terceiros por meio da Allianz Global Investors e PIMCO. Em 2017, o Grupo Allianz alcançou receita total de 126 bilhões de euros e lucro operacional de 11 bilhões de euros.

 

O Grupo Allianz está presente em mais de 70 países e seus clientes corporativos e de varejo passam de 88 milhões. Além de oferecer seguros de propriedade, vida, saúde, crédito, corporativos globais, e serviços de assistência, a Allianz também se destaca em estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia. Graças à integração sistemática de critérios ecológicos e sociais em processos de negócios e decisões de investimento, o Grupo Allianz é a seguradora líder no Índice Dow Jones de Sustentabilidade.

 
 

Virta Comunicação Corporativa
Lucila Lopes – lucila.lopes@virta.inf.br 

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br
Natascha Ariceto – natascha.ariceto@virta.inf.br 
55 11 3894-2439

imprensa@allianz.com.br

Allianz entrega o prometido

  • Crescimento da receita interna de 6,1 % em 2018

  • Lucro operacional de 11,5 bilhões de euros em 2018 está na faixa superior da meta para o ano 

  • Lucro líquido 2018 atribuível aos acionistas cresce 9,7% e atinge 7,5 bilhões de euros

  • Coeficiente de capitalização Solvency II na marca dos 229%, ao final de 2018, permanece inalterada em relação ao encerramento de 2017

  • Conselho de Administração propõe dividendo de 9 euros por ação, com alta de 12,5%

  • Agenda de Renovação 1.0 implementada com êxito 

  • Meta do lucro operacional para 2019 é de 11,5 bilhões de euros, mais ou menos 500 milhões de euros, salvo imprevistos

  • T4-2018 tem crescimento de 4,4% na receita interna e 0,4% no lucro operacional, que fica em 2,8 bilhões de euros; lucro líquido atribuível aos acionistas no período sobe 18,9% e atinge 1,7 bilhão de euros

  • Anunciado novo programa de buy-back de ações de até 1,5 bilhão de euros

 

Resumo do Relatório:  lucro operacional mais alto na história da Allianz

 

O Grupo Allianz teve um ano muito bem-sucedido em 2018, cumprindo as metas de desempenho em todos os segmentos e mantendo a força de capital em patamar elevado. A concretização dos objetivos da nossa “Agenda de Renovação” preparou o terreno para esse excelente desempenho. Baseado nos números preliminares, o crescimento da receita interna, corrigidos os efeitos da transposição cambial e de consolidação, totalizou 6,1% e teve a contribuição de todos os segmentos operacionais da empresa. A receita total cresceu 3,5% e atingiu a marca de 130,6 bilhões de euros (contra 126,1 bilhões em 2017).

 

Com aumento de 3,7%, o lucro operacional de 11,5 (contra 11,1) bilhões de euros se situa na porção superior da faixa visada que foi anunciada pelo Grupo, de 10,6 a 11,6 bilhões de euros, e é a mais alta na história da Allianz. O crescimento do lucro operacional pode ser atribuído majoritariamente ao nosso segmento de P&C que registrou forte alta de 13,3% no lucro operacional. Isso se deu por conta de um coeficiente de despesas otimizado, menor sinistralidade por catástrofes naturais e crescimento do prêmio.

 

O segmento de Gestão de Ativos também registrou alta no lucro operacional devido à elevação da receita referente aos ativos sob gestão (AuM). Como consequência de uma margem de investimento mais baixa em meio à volatilidade do mercado financeiro, o lucro operacional do nosso negócio de Vida/Saúde declinou.

 

 

 

O lucro líquido atribuível aos acionistas cresceu 9,7% e ficou em 7,5 (6,8) bilhões de euros. Esse lucro operacional majorado e a menor tributação sobre os rendimentos compensaram com vantagem o declínio no resultado não operacional.

 

O Lucro Básico por Ação (EPS) subiu 14,4%, passando a 17,43 (contra 15,24) euros para o ano de 2018. O Retorno sobre o Patrimônio Líquido (RoE) totalizou 13,2% (contra 11,8%).

 

Coeficiente de capitalização Solvency II totalizou 229% no final de 2018, permanecendo inalterado em relação ao final de 2017. O Conselho de Administração proporá dividendos de 9 euros por ação em 2018 -  uma alta de 1,5% em relação a 2017.

 

A Allianz continuou promovendo a experiência do cliente em 2018. No mundo inteiro 74% dos negócios atingiram um Net Promoter Score (NPS) acima da média do mercado, comparado aos 60% no ano anterior. O Índice de meritocracia inclusiva (IMIX), que mede a liderança e a cultura do desempenho, cravou 71% em 2018, muito próximo do nosso nível almejado de 72%. Tais números refletem o esforço da Allianz em atender os clientes e envolver os colaboradores da melhor forma possível. A Allianz concluiu dois programas de buy-back de ações, num volume total de 3 bilhões de euros. Todas as ações recompradas foram canceladas. Um novo programa de buy-back de até 1,5 bilhão de euros foi anunciado em 14 de fevereiro de 2019.

 

“Tenho muito orgulho da família Allianz ao redor do mundo por entregar um conjunto de resultados tão bom. Nós atingimos o maior lucro líquido dos últimos dez anos, apesar da forte volatilidade do mercado, especialmente no quarto trimestre do ano“, declarou Oliver Bäte, CEO do Grupo Allianz. “Nossos cientes continuam confiando em nós. Tendo isso em mente, nós estamos focando na simplicidade como o próximo passo para reiterar a nossa estratégia”.

 

No 4º trimestre de 2018, o lucro operacional permaneceu em 2,8 (contra 2,8) bilhões de euros: um lucro operacional maior proveniente do nosso negócio de P&C foi compensado, principalmente, por um declínio dos negócios nos nossos segmentos de Vida e Saúde e na Gestão e Ativos Patrimoniais.  O aumento no lucro operacional do nosso negócio de Property & Casualty (P&C) se deveu, em grande parte, a um resultado mais elevado do investimento. O lucro operacional do nosso negócio de Vida/Saúde declinou devido, principalmente, a uma margem técnica menor na França. O decréscimo no lucro operacional do segmento de Gestão de Ativos foi motivado, sobretudo, por menores taxas de desempenho. O lucro líquido atribuível aos acionistas subiu 18,9% e foi para 1,7 (contra 1,4) bilhão de euros no quarto trimestre de 2018, devido a um melhor resultado não-operacional e à menor tributação sobre os rendimentos.

 

“A Allianz obteve resultados excelentes em 2018, com lucro operacional de 11,5 bilhões de euros, atingindo o patamar superior da meta visada anunciada pelo Grupo entre 10,6 e 11,6 bilhões de euros”, declarou Giulio Terzariol, diretor Financeiro do Grupo Allianz.  “Nossa atividade sadia e bem diversificada nos deixa confiantes de que iremos continuar entregando um desempenho financeiro robusto novamente este ano. O Grupo almeja gerar um lucro operacional de 11,5 bilhões de euros em 2019, com margem de mais ou menos 500 milhões de euros, salvo imprevistos.”.

 

 

Property-Casualty (P&C): forte crescimento interno e boa performance operacional

 

Os prêmios brutos subscritos chegaram a 53,6 (52,3) bilhões de euros em 2018. Ajustados os efeitos de transposição cambial e de consolidação, o crescimento interno totalizou 5,7%. Os efeitos de preço e volume contribuíram com 4% e 1,7%, respectivamente. Quanto ao crescimento interno, AGCS, Alemanha e Allianz Partners foram seus principais impulsionadores.

 

  • Lucro operacional aumentou 13,3% e foi a 5,7 bilhões de euros em 2018, comparado ao ano anterior. Tal aumento se deveu, principalmente, a um forte resultado na subscrição, impulsionado por um menor coeficiente de despesa, ausência de perdas de peso decorrentes de catástrofes naturais e em menor grau, devido ao crescimento dos prêmios. Nosso resultado do investimento operacional também contribuiu positivamente.

     

  • O índice combinado teve aumento de 1,2 ponto percentual e chegou a 94%.

 

“Estou satisfeito com nosso forte crescimento interno e o bom desempenho operacional do negócio no segmento P&C, ” afirmou Giulio Terzariol. “Atingimos a nossa meta de 94% do índice combinado devido à nossa subscrição sistematicamente disciplinada e, sobretudo, ao coeficiente de despesa substancialmente melhorado. ”

 

No quarto trimestre de 2018, os prêmios brutos subscritos aumentaram para 11,7 (11,3) bilhões de euros. Corrigidos os efeitos de transposição cambial e de consolidação, o crescimento interno chegou a 5,1%, com efeitos de volume e preço contribuindo com 2,8% e 2,3%, respectivamente. O lucro operacional aumentou 14% e foi para 1,5 bilhão de euros comparado ao mesmo período do ano anterior, devido a um maior investimento e ao resultado melhor da subscrição. O índice combinado para o quarto trimestre de 2018 cresceu 0,4 ponto percentual e foi para 94,1%.

 

 

Vida e Saúde: crescimento rentável continuado no novo negócio

 

  • O PVNBP¹, o valor atual dos prêmios dos novos negócios, subiu para 58,5 (55,5) bilhões de euros em 2018. Isso se deveu, principalmente, às vendas maiores de produtos eficientes em termos de capital no ramo alemão de seguro Vida, no negócio de anuidades indexadas fixas nos EUA, bem como na maioria das linhas de negócio na Itália.

     

  • A margem de novos negócios (NBM) se fortaleceu em 2018 passando a 3,6% (3,4%) com o apoio das condições de mercado favoráveis. O valor dos novos negócios (VNB) cresceu para 2,1 (1,9) bilhões de euros em 2018, impulsionado pelo crescimento nas vendas e pela continuidade da mudança para produtos eficientes em termos de capital.

     

  • O lucro operacional recuou para 4,2 (4,4) bilhões de euros, situando-se no ponto médio da faixa prevista, o que mostra a resiliência dos nossos negócios em meio à volatilidade crescente do mercado financeiro. Esta última provocou um declínio da nossa margem de investimento, por meio de uma combinação de deficiências maiores, realizações menores e um resultado comercial em declínio nos nossos ramos de Vida na Alemanha e EUA.

 

“O crescimento continuado do novo negócio no segmento Vida e Saúde reflete o sucesso dos nossos produtos concebidos também para o ambiente de baixas taxas de juros”, aponta Giulio Terzariol. “Isso mostra que nossos clientes querem a qualidade e a estabilidade que a Allianz pode oferecer. ”

 

No quarto trimestre de 2018, o PVNBP saltou para 16,1 (15,2) bilhões de euros, impulsionado pelas vendas ampliadas de anuidades indexadas fixas nos EUA. O lucro operacional caiu para 1,0 (1,1) bilhão de euros devido, principalmente, à margem técnica menor na França. A margem de novos negócios (NBM) se fortaleceu e foi para 3,9 (contra 3,6) % fazendo com que o valor de novos negócios (VNB) crescesse para 631 (550) milhões de euros.


Gestão de Ativos: lucro operacional cresce 4% apesar dos mercados difíceis

 

  • Os ativos de terceiros sob gestão (AuM) caíram 12 bilhões de euros ficando em 1,436 trilhão de euros, comparado ao final de 2017. Com isso, os efeitos positivos da transposição cambial não puderam compensar os efeitos negativos do mercado atribuíveis sobretudo à retração do mercado no último trimestre do ano.  Saídas líquidas de 3 bilhões de euros também contribuíram para esse declínio. Os ativos totais sob gestão permaneceram estáveis no patamar de 1,961 trilhão de euros.

     

  • A relação custo-rendimento (CIR) subiu 0,5 ponto percentual e foi para 62,4% em 2018. O aumento do coeficiente foi devido à inclusão dos investimentos da Allianz Capital Partners no crescimento do negócio.

     

  • Lucro operacional aumentou 3,7%, passando a 2,5 (2,4) bilhões de euros. O aumento se deu por conta do crescimento nos rendimentos operacionais, impulsionado, sobretudo, por uma média mais alta de ativos de terceiros sob gestão (AuM) e por um aumento nas margens impulsionadas por AuM de terceiros, tanto na PIMCO como na Allianz Global Investors. Esse avanço positivo só foi parcialmente compensado pelo aumento das despesas.

     

    “Os rendimentos da Gestão de Ativos e o lucro operacional cresceram em um ambiente desafiador no ano de 2019”, sinaliza Terzariol. “A volatilidade nos mercados financeiros, particularmente no 4º trimestre, levou a saídas líquidas. No entanto, a expansão das nossas margens mostra claramente a saúde do nosso negócio”.

     

No quarto trimestre de 2018, o lucro operacional baixou 9,1% para 633 milhões de euros, devido, principalmente, às menores taxas de performance e despesas mais elevadas. O coeficiente custo-rendimento subiu 3,4 pontos percentuais passando a 63,6%. Os ativos de terceiros sob gestão tiveram redução de 51 bilhões de euros: os efeitos negativos do mercado de 40 bilhões de euros e as saídas líquidas de terceiros de 31 bilhões de euros não puderam ser compensadas pelos efeitos favoráveis da transposição cambial da ordem de 19 bilhões de euros.

 

 

 

Sobre o Grupo Allianz

O Grupo Allianz é uma das principais seguradoras e gestora de ativos do mundo com mais de 9 milhões de clientes corporativos e de varejo.  Os clientes da Allianz se beneficiam de uma ampla gama de serviços de seguros pessoais e corporativos, que vão de seguros de propriedade, vida e saúde aos serviços de assistência ao seguro de crédito e de negócios globais. A Allianz é um dos maiores investidores do mundo, gerindo cerca de €673 bilhões de em nome de seus clientes, enquanto nossos gestores de ativos Allianz Global Investors e PIMCO gerem mais €1,4 trilhão de ativos de terceiros. Graças à nossa integração sistemática de critérios ecológicos e sociais em nossos processos de negócios e decisões de investimento, mantemos a posição de liderança para seguradoras no Índice Dow Jones de Sustentabilidade. Em 2018, com mais de 142.000 colaboradores em mais de 80 países, o Grupo Allianz obteve uma receita total de €131 bilhões e um lucro operacional de €11,5 bilhões.

 

These assessments are, as always, subject to the disclaimer provided below.

 

Cautionary note regarding forward-looking statements

This document includes forward-looking statements, such as prospects or expectations, that are based on management's current views and assumptions and subject to known and unknown risks and uncertainties. Actual results, performance figures, or events may differ significantly from those expressed or implied in such forward-looking statements. Deviations may arise due to changes in factors including, but not limited to, the following: (i) the general economic and competitive situation in the Allianz Group's core business and core markets, (ii) the performance of financial markets (in particular market volatility, liquidity, and credit events), (iii) the frequency and severity of insured loss events, including those resulting from natural catastrophes, and the development of loss expenses, (iv) mortality and morbidity levels and trends, (v) persistency levels, (vi) particularly in the banking business, the extent of credit defaults, (vii) interest rate levels, (viii) currency exchange rates, most notably the EUR/USD exchange rate, (ix) changes in laws and regulations, including tax regulations, (x) the impact of acquisitions including and related integration issues and reorganization measures, and (xi) the general competitive conditions that, in each individual case, apply at a local, regional, national, and/or global level. Many of these changes can be exacerbated by terrorist activities.

 

No duty to update

The Allianz Group assumes no obligation to update any information or forward-looking statement contained herein, save for any information we are required to disclose by law.

 

Other

The figures regarding the net assets, financial position and results of operations have been prepared in conformity with International Financial Reporting Standards.

Information is based on preliminary figures. Final results for fiscal year 2018 will be released on March 8, 2019 (publication of the Annual Report).

This is a translation of the German Quarterly and Full Year Earnings Release of the Allianz Group. In case of any divergences, the German original is binding.

 

Privacy Note

Allianz SE is committed to protecting your personal data. Find out more in our Privacy Statement.

 

Para mais informações, entre em contato com:

Christian KroosTel. +49 89 3800 5043

Holger KlotzTel. +49 89 3800 90921

Daniela Markovic Tel. +49 89 3800 2063

 
 

Virta Comunicação Corporativa
Lucila Lopes – lucila.lopes@virta.inf.br 

Bianca Bordignon – bianca@virta.inf.br
Natascha Ariceto – natascha.ariceto@virta.inf.br 
55 11 3894-2439

imprensa@allianz.com.br